Quem não se lembra da dupla Pepê e Neném, que fez muito sucesso nos anos 90 com hits como “Mania de Você” e “Nada Me Faz Esquecer”?

Elas podiam ter se dado por felizes com essas referências, mas também ficaram conhecidas em um passado mais recente após declararem apoio ao então presidenciável Jair Bolsonaro nas últimas eleições, o que surpreendeu a muitos, dado o histórico de comentários extremamente racistas e homofóbicos já proferidos por Jair enquanto deputado, sendo as irmãs duas negras e lésbicas.

Na época, tornando pública não apenas sua opinião mas também ignorância e homofobia internalizada, a dupla causou revolta em muitos, não apenas pelo apoio a Jair Bolsonaro, mas também por afirmarem que “gays não deveriam beijar em público”.

Pois agora foi revelado pelo portal TV Foco que as duas, além de terem tido suas contas bloqueadas pela justiça, acabaram de perder um processo movido pela ex-empresária da dupla, Angélica Capelete, e foram condenadas a pagar mais de R$81 mil.

Ainda segundo o portal, como não pagaram dentro do prazo determinado pela justiça, a juíza Edna Kyoko Kano assinou mandado os bens das cantoras sejam penhorados de maneira imediata.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Como garantia à justiça pelo pagamento da ex-empresária, a bilheteria de uma peça teatral das duas que deve estrear em um futuro próximo, já teve 50% do valor penhorado para quitação da dívida, assim como um veículo Golf registrado no nome de Neném.

Poxa! Quem diria que nenhum Bolsominion – que apoia quem põe a culpa da escravidão nos próprios negros e diz que quilombolas não servem nem pra procriar, ou que de LGBT ninguém gosta – compraria um ingresso sequer pra garantir a carreira de duas cantoras talentosas, negras e lésbicas, não é?

Tomara que as duas consigam retomar a carreira e se livrem da dívida… e também da equivocada opinião política apoiando quem as oprime.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).