Recentemente viralizou no Twitter que a Barbie estaria de namorada nova, mas tudo não passou de um mal-entendido, pois na realidade se trata de uma amizade (mas bem que poderia ser colorida, né? rs)

O tweet, que já foi retuitado quase 15.000 vezes, mostra uma foto da Barbie com outra boneca, ambas usando camisetas que diziam “o amor vence”, ao lado de uma pesquisa do Google, afirmando que a Mattel havia dado a Barbie “sua primeira namorada”.

Os usuários do Twitter estavam em êxtase, confira:

Mas, infelizmente, a Barbie ainda não assumiu uma relação homossexual, e a segunda boneca da foto nunca teve a intenção de ser sua namorada.

O artigo da VT, que foi compartilhada no Twitter, enganosamente intitulado “Barbie finalmente tem uma namorada e é assim que ela se parece”, referia-se a um post de 2017 na conta do Instagram ‘Barbie Style’ em colaboração com a designer e blogueira de moda Aimee Song.

A Mattel criou uma boneca para Song, em versões em miniatura de sua camiseta “o amor vence”, para promover a estilista que estava arrecadando dinheiro para o Projeto ‘Trevor’ para ajudar jovens LGBT+ em crise.

Barbie e Aimee Song
Barbie e Aimee Song

A legenda do Instagram dizia: “Orgulho de usar esta camisa Love Win’s com @songofstyle! Você sabia que as camisetas exclusivas dela beneficiam diferentes causas e organizações sem fins lucrativos?”

“Uma iniciativa tão inspiradora e alguns dias fabulosos que passei com Aimee, ela é uma boneca!”

Song lançou a camiseta para o mês do Orgulho LGBT, e explicou em seu blog que ela é uma “aliada, e alguém que realmente acredita que o amor vence”.

Mattel, marca da Barbie, lançou uma linha de bonecas sem gênero

Barbie sem gênero
Barbie sem gênero

Embora a Barbie possa não ser homossexual, em 2019 a Mattel lançou uma linha de bonecas que incluem gênero “projetadas para manter os rótulos de fora e convidar todos a entrar”.

As bonecas do Creatable World vêm com cabelo curto e peruca comprida, além de várias peças de roupa que incluem opções “masculinas” e “femininas”, para que as crianças possam personalizar sua expressão de gênero com mais de 100 combinações.

Monica Dreger, chefe de insights do consumidor da Mattel, disse à revista TIME na época: “Houve um casal de crianças que nos disseram que temiam o dia de Natal porque sabiam o que quer que estivesse debaixo da árvore de Natal, não era feito para eles.”

“Esta é a primeira boneca que você pode encontrar debaixo da árvore e ver que é para eles, porque pode ser para qualquer pessoa.”

Carioca, antenado e intenso. Redator do Põe na Roda e Produtor Digital da Rádio Rio de Janeiro. Amante das artes, desde as cênicas até a fotografia. Taurino com 21 anos, apreciador raiz da cultura pop e um jornalista em construção.