Os roteiristas de Brokeback Mountain se reuniram para um novo filme sobre um pai presenciando o suicídio de seu jovem filho gay. Os autores do clássico, Larry McMurtry e Diana Ossana, que transformaram o romance de Annie Proulx em um vencedor do Oscar estrelado por Heath Ledger e Jake Gyllenhaal, estão prontos para fazer seu retorno ao cinema LGBT+ com o drama de arrancar lágrimas.

A angustiante história real é protagonizada por Mark Wahlberg como o pai, Joe Bell, que realizou uma caminhada pelos Estados Unidos para aumentar a conscientização sobre o bullying após o suicídio de seu filho de 15 anos, Jadin, interpretado por Reid Miller.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Good Joe Bell mudará entre sua “odisseia cross-country” e cenas de flashback retratando a “homofobia brutal” que Jadin experimentou na escola. Ossana explicou ao The Hollywood Reporter que foi ela quem convenceu McMurtry a assumir o projeto, como aconteceu com Brokeback Mountain, mais de 15 anos antes.

VEJA TAMBÉM:  Jake Gyllenhaal conta que Heath Ledger odiava piadas homofóbicas com O Segredo de Brokeback Mountain

Ela disse em entrevista: “Larry teve dificuldades no início, antes de começarmos a escrever. Ele meio que não estava feliz com Joe. Conversei com ele sobre como seria o estado psicológico de Joe. Mas Joe amava profundamente seus filhos, e eu disse a Larry que tínhamos que resolver isso dessa forma”.

A angustiante história real dos roteiristas de Brokeback Mountain será estrelada por Mark Wahlberg como Joe Bell. O verdadeiro Joe Bell foi atropelado por um carro e morto em outubro de 2013, oito meses após a morte de seu filho, mas sua viúva e amigos de Jadin estão intimamente envolvidos no projeto.