Um reality show da Netflix virou caso de polícia envolvendo atores gays. “Cheer“, que traz líderes de torcida, retratou alguns dos lados mais sombrios do esporte, mas parece que havia muito mais coisas acontecendo que os produtores não perceberam.

Um de seus líderes de torcida do elenco, Jerry Harris, foi preso em setembro (2020) por uma série de acusações de pornografia infantil. Harris foi retratado como adorável, alegre e abertamente gay no programa, mas admitiu ter trocado fotos sexualmente explícitas no Snapchat com pelo menos 10 a 15 menores de idade, fazendo sexo com um garoto de 15 anos em uma competição de líderes de torcida em 2019 e pagando a um jovem de 17 anos para enviar-lhe fotos nuas.

Image result for mitchell ryan cheer

Dois irmãos gêmeos de 14 anos também entraram com uma ação por assédio sexual contínuo de Harris, que começou quando eles tinham apenas 13 anos e Harris tinha 19. Agora, mais dois membros do elenco também foram presos por acusações separadas; Robert Joseph Scianna Jr., treinador e coreógrafo de 25 anos, e Mitchell Ryan, 23, membro da equipe de torcida do Navarro College.

Image result for jerry harris arrest

Scianna foi acusado de “tomar liberdades indecentes com uma criança e usar um dispositivo de comunicação eletrônica para solicitar sexo”, depois que ele combinou de se encontrar com um garoto de 14 anos para fazer sexo depois que eles começaram a falar nas redes sociais. Todos os casos dos atores gays são isolados e não foram feitos em conjunto.

Segundo informações do CockTailsAndCockTalk, Mitchell foi acusado de agressão sexual agravada contra uma criança relacionada a um suposto incidente ocorrido em 24 de julho, de acordo com os registros do Departamento do Xerife do Condado de Dallas.

Seu advogado disse “há dois lados em cada história e estamos ansiosos para que seu nome seja limpo”, acrescentando que foi um “pesadelo” para ele e sua família. Os outros dois atores gays envolvidos no caso ainda não se pronunciaram.