A cantora Ariana Grande foi anunciada como headliner do  Manchester Pride Live, um festival que celebra o orgulho LGBTQ+ na cidade inglesa e acontece em agosto de 2019. Entretanto, a notícia não agradou muitas pessoas da comunidade gay. A presença da cantora no evento foi vista por muitos como uma forma de explorar o público, já que ela é heterossexual.

E muitos fãs começaram a falar sobre a falta de representatividade e do aumento do preço dos ingressos por causa da presença dela no evento.

“Ariana sendo a headliner de um festival gay quando ela é hétero (até onde eu sei)… e dobrando os preços dos ingressos… meio que parece uma exploração da comunidade LGBTQ pra mim”, escreveu um internauta.

Ariana então resolveu se defender e escreveu um texto no Twitter.

“A comunidade LGBTQ tem sido muito especial e solidária comigo ao longo da minha carreira. A relação que tenho com meus fãs, amigos e familiares LGBTQ me faz muito feliz. Quero celebrar e apoiar essa comunidade, independentemente da minha identidade ou de como as pessoas me rotulam”, falou sobre sua ligação com a comunidade.



Assista também:



Além disso, a cantora também relembrou o quanto a cidade de Manchester tem um marco em sua vida, por causa do atentado que ocorreu logo após seu show em 2017: “Também quero visitar uma cidade que significa muito para mim”, completou ela.

Ari ressaltou ainda que outros eventos LGBTQ+ também contaram com a participação de artistas héteros e que isso não significa uma exploração: “Representação LGBT é incrivelmente importante e tenho orgulho de dividir o palco com artistas LGBT! Ao longo dos anos, eventos de orgulho gay têm tido headliners de artistas de todas as orientações sexuais e gêneros, incluindo aliados héteros como Cher e Kylie Minogue. Eu acredito que há espaço para falarmos desses assuntos sem igualar uma performance *para* o público LGBT com exploração da comunidade”, concluiu.

Apesar de não concordar com as críticas, ela ainda mostrou muito respeito pela opinião: “Se você realmente sente que eu não merecia receber esse convite, eu respeito isso. Mas aceitei isso com muita animação e gratidão”, explicou. Outro ponto que foi discutido por muitas pessoas é que o preço do ingresso teria subido por conta da cantora estar no lineup, mas Ari explicou que não tem nada a ver com os preços, já que o próprio evento define as taxas.

Por fim, Ariana comentou que não está tentando ser um símbolo de luta da comunidade: “Não estou reivindicando ser a heroína da comunidade ou a cara do movimento dos direitos dos LGBT – eu só quero fazer um show que faça meus fãs LGBT se sentirem especiais, celebrados, e apoiados”.