A ativista LGBT Anyky Lima faleceu na última quarta-feira (14) por conta de um infarte fulminante. Ela era um dos principais nomes do país na luta contra a LGBTfobia, chegando a presidir o Centro de Luta Pela Livre Orientação Sexual de Minas Gerais e tendo sido também representante estadual da ANTRA, Associação Nacional de Travestis e Transexuais.

Sua importância era tamanha que ela foi reconhecida em vida. Anyky Lima chegou a dar nome ao Ambulatório Trans do Hospital Eduardo de Menezes, da rede Fhemig de Minas Gerais.

Ultimamente, vivendo há 34 anos em Belo Horizonte (MG), ela lutava contra um câncer. Tendo nascido em uma época muito mais difícil do que hoje para ser uma travesti, Anyky nunca baixou a cabeça ao que a sociedade lhe mandava.

“Sempre me entendi como mulher – e minha família não aceitava. Só faltava tomar hormônios, o que fiz depois, por minha conta”, recordou ela em depoimento sobre as dificuldades de se envelhecer sendo uma mulher trans.

Ativista LGBT Anyky Lima. (Foto: Reprodução)
Ativista LGBT Anyky Lima. (Foto: Reprodução)

Em um post em sua homenagem, a ANTRA expressou seu pesar e eterna admiração por Anyky Lima: “Anyky viveu e morreu lutando! Além de ter sobrevivido a ditadura, a epidemia do HIV nos anos 80/90, a ausência e omissão do estado, a violência e o transfeminicídio, era uma grande defensora dos direitos das pessoas LGBTI+ e lutadora pela cidadania da população de Travestis e demais pessoas trans”.

E lembraram que Anyky Lima “sobreviveu as estatísticas e se tornou idosa em um País onde a expectativa de vida de uma travesti ou transexual é de 35 anos. Mas nem ela sabia nos explicar como conseguiu sobreviver tanto tempo depois de ter sido expulsa de casa aos 12 anos”.

“Estamos tristes e consternadas com mais essa perda. Mas seu legado e a referência que se constitui a partir de sua luta nos fortalecerá e fará que sigamos em luto, mas sempre na luta”, disse a ANTRA ao fim do post.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).