Silas Malafaia, defensor da tradicional família brasileira cristã, ou seja, lgbtfóbico de carteirinha, veio às rede sociais esbravejar sobre a denúncia e a investigação aberta contra a cantora gospel Ana Paula Valadão por crime de homofobia.

Em seu vídeo, Silas Malafaia diz que “é livre a manifestação do pensamento” e que a “manifestação do culto é inviolável”. Ele continua: “sabe quem tirou os gays de grupo de risco de AIDS? Não foi a ciência, foi a pressão deles com a mídia que os apoiam”.

Silas Malafaia defende direito de discurso criminoso

Em seu vídeo, o pastor ainda diz que todos tem o direito de dizer o que quiser em seu discurso “por mais esdrúxulo que seja” e se indaga que chamar alguém de homofóbico é uma safadeza, porque “fobia quem determina é a psiquiatria”.

Em meio a baboseiras e ataques, Silas Malafaia ataca instituições de ativismo LGBT+ dizendo que a investigação sobre os crimes cometidos por Ana Paula Valadão são uma vergonha, e cita a Constituição sobre manifestação do pensamento. O inquérito vai “apurar eventual prática de conduta discriminatória caracterizadora de discurso de ódio sexual e contra pessoas portadoras do HIV”.