O artista americano Doug Blanchard, pintou uma série de 24 quadros retratando Jesus como um homem gay contemporâneo em uma cidade moderna, adicionando um pano de fundo realista ao drama emocional da história. Sua obra reinventa os eventos dramáticos do Domingo de Ramos, a Última Ceia e a prisão, julgamento, crucificação e ressurreição de Jesus.

“Cristo é um de nós em minhas pinturas”, diz Blanchard. “Em seus sofrimentos, queria mostrá-lo como alguém que experimenta e entende completamente o que é ser um estranho que não é bem-vindo.” Blanchard, é um professor de arte e autoproclamado “crente muito agnóstico”, usou a série para lidar com sua a própria fé luta como um nova-iorquino que testemunhou os ataques terroristas de 11 de setembro.

Esses retratos causam polêmica entre as pessoas mais religiosas, tanto que o anúncio da exposição dos quadros que aconteceria em uma galeria de arte nos Estados Unidos foi banido do Facebook, que inicialmente o classificou como um “produto adulto” que buscava “promover a pornografia”. O Facebook aprovou o anúncio depois que uma apelação foi enviada por Blanchard, explicando sobre o seu trabalho artístico.

Segundo a revista “The Advocate” os usuários LGBT do Facebook, como o fotógrafo Michael Stokes, têm se queixado repetidamente de que suas fotos e outros trabalhos estão sendo proibidos sem explicação, com os casos mais visíveis geralmente ganhando na apelação.

Uma das fotos censuradas do fotografo Mike Stokes no Facebook

Depois do que aconteceu com apenas o anúncio da exposição, Blanchard resolveu lançar o livro “A Paixão de Cristo: Uma Visão Gay” que inclui as pinturas e textos Kittredge Cherry do site Jesus In Love. Ele também mantém uma página no Facebook. para divulgar outros retratos e desenhos.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Confira algumas das pinturas do livro “A Paixão de Cristo: Uma Visão Gay:”

Para adquirir umas das pinturas ou o livro clique aqui.