O final do desenho da Netflix, She-ra, realizou um grande desejo dos fãs da animação e apresentou a protagonista Adora finalmente ficando a sua melhor amiga e arqui-inimiga Felina. Apesar do sucesso que o encerramento trouxe, a criadora do reboot, Noelle Stevenson, revelou temer que romance final fosse barrado.

Noelle afirmou que os planos sempre foram que a última temporada fosse a reconciliação de Adora e Felina, mas que isso não necessariamente queria dizer que elas terminariam como um casal. “Meu grande medo era que eu mostrasse minhas intenções cedo demais e me dissessem que não estava autorizado a fazer isso”, relatou à io9.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Eu meio que tinha um plano: se eu posso levá-las a um lugar onde o relacionamento delas e esse romance são centrais para o enredo, e não podem ser removidos, não podem ser notados ou cortado depois, então eles terão que me deixar fazer isso”, contou a cartunista.

VEJA TAMBÉM:  She-Ra apresenta o primeiro casal gay negro dos desenhos animados; assista

A partir disso, Noelle trabalhou para plantar sementes ao longo de várias temporadas até chegar ao ponto em que a relação de amor e ódio dos personagens não poderia ser outra coisa senão amor romântico. Quando tudo estava no lugar, deu a notícia aos executivos da série.

“É algo muito vulnerável pensar: ‘Eis o que eu quero fazer. Eu quero pegar She-ra, uma personagem icônica, clássica, herdada e dar a ela um interesse amoroso feminino. E um final romântico’”, disse Noelle.

A cartunista infelizmente não disse qual foi a reação dos executivos, mas sabemos que ela conseguiu realizar o desenho de representar o romance lésbico no desenho.