Sam Smith abriu o coração sobre sua identidade de gênero como pessoa não binária, ou seja, que não se identifica necessariamente como homem ou como mulher, podendo inclusive transitar entre os gêneros.

À revista GQ, Sam contou que desde muito novo não se sentia à vontade sendo um homem: “Desde garotinho nunca me senti bem como homem. Realmente nunca. Alguns dias tenho um lado mais viril, mas nos outros um lado totalmente feminino”.

O cantor – que também disse que ainda se refere a si no masculino mesmo sendo não binário – continuou: “Quando me sinto no meio dessa mudança, fico deprimido e triste. Sinto que não sei o que sou ou onde estou, me sentindo incompreendido por mim mesmo”.

Sam ainda contou que assim que leu sobre não-binarismo, entendeu onde pertencia: “Quando ouvi a palavra e fui ver o que era, deu um estalo: ‘Nossa! É isso que eu sou!’”.

Já quando perguntado sobre a reação da família ao assunto, Sam disse que sua mãe lhe acolheu e ainda disse estar aliviada: “Ela me disse: ‘Fico feliz que tenha encontrado uma maneira de explicar isso, porque eu e sua família temos nos consumido sobre a maneira como você se torturava a vida toda!’”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ao abraçar sua identidade , Smith disse: “Eu também estou com muito medo, porque vivi minha vida sendo uma minoria e agora estou tentando explicar outra para as pessoas ao meu redor, algo novo do zero e elas não entendem. Parece uma nova saída do armário, ainda que agora eu esteja aprendendo que essa questão já existe há tempos!”.

Em outra parte da entrevista, Smith revelou que suas primeiras experiências com a comunidade gay, depois de deixar a pequena vila em que ele cresceu, foram violentas e assustadoras.

“Minhas primeiras experiências sexuais foram horríveis até que superei fazendo terapia. Não houve muita gentileza, me machucou e foi terrível, traumático mesmo. Isso provavelmente afetou minha crença no amor que sempre foi abalada”.

Sam disse que deve a isso sua demora no despertar da sexualidade na vida: “Acredito que quanto ao trabalho, me sinto um cara de 40 anos com minhas responsabilidades e tal. Mas no sentido romântico, de relacionamento, ainda me sinto um adolescente inexperiente. É difícil. E acho que pode ser assim pra muitas pessoas LGBTs”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).