O presidente homofóbico, Jair Bolsonaro, mais uma vez perdeu a chance de ficar calado. Em outras oportunidades, Bolsonaro já disse que é homofóbico com muito orgulho, que preferia ter um filho morto a um filho homossexual, ao vivo no Jornal Nacional apresentou um livro falso sobre o ‘kit gay’ e agora disparou outra declaração homofóbica.

Na manhã desta quinta-feira (25) , o presidente falou que o Brasil não pode ser um país do mundo gay e do turismo gay. A afirmação feita por Bolsonaro foi durante uma entrevista com jornalistas, na qual comentou sobre o Museu Americano de História Natural recusar sediar o evento o qual iria premiá-lo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Eu recebo (a homenagem) na praia, numa praça pública. Não é o museu que está me homenageando. O que houve foi pressão do governo local que é Democrata e eu sou aliado do (presidente dos EUA) Donaldo Trump”, disse Bolsonaro.

VEJA TAMBÉM:  Lojas Renner lança vídeo se desculpando por homofobia em loja e prometendo atitudes; assista

Bolsonaro se fez de vítima e contou que foi em novembro de 2009 que começou a ser criticado por acusar o kit gay .  Também disse que essas atitudes e falas não prejudicam os investimentos no país. “Eu comecei a assumir essa pauta conservadora. Essa imagem de homofóbico ficou lá fora”, disse ele.

Pois bem, depois de falar todas essas asneiras veio a pior. Bolsonaro disse que o Brasil não pode ser um país do mundo gay, porque temos famílias. ”O Brasil não pode ser país do mundo gay, de turismo gay. Temos famílias”, disse.

Sabe o que o Brasil não pode ser, senhor Presidente? Palco para suas falas baseadas em Fake News. Palco para o preconceito. Palco para pessoas como você homofóbicas, racistas e sem preparo algum para representar.

Maikon Stefan
Amante do teatro, tv e de Harry Potter, formado em Técnico em Administração e Bacharel em Ciência e Tecnologia (UNIFESP-SJC). Atualmente cursa Engenharia de Materiais (UNIFESP-SJC). Também foi Presidente da Empresa Júnior (Ectm Jr). "Me chama pra causar que eu vou".