Juízes da cidade de Simões Filho, na Bahia, têm sido acusados de se recusarem a celebrar um casamento coletivo de LGBTs no município. O caso foi denunciado pelo presidente do Grupo Gay do CIA, Edy Kacay.

Em entrevista ao site Bahia no Ar, o ativista apontou que os magistrados tem se recusado por conta de questões religiosas, no entanto, o casamento é previsto por lei na constituição.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Toda forma de amar deve ser respeitada e fico triste quando existem dois juízes de paz nesse município que afirmam que por causa da religião, eles não vão fazer o casamento LGBT”, afirmou. “Ao todo, é previsto o matrimônio de dez casais LGBT no município”.

VEJA TAMBÉM:  Assassinato de Travestis e Transexuais aumenta 180% no Brasil em 2020

“Vamos casar neste ano ainda, dez seres humanos LGBT. Eu sou casado e vivo muito bem com meu esposo. Eu fico indignado, infelizmente não respeitam a diversidade. Os dez casamentos estão mantidos”, disparou.

Kakay afirmou que existem cerca de 2 mil casais LGBTs no município de Simões Filho e garantiu que por conta do caso vai acionar o Ministério Público e a Defensoria Pública, para lutar pelos direitos desses casais.