Na última segunda-feira, dia 31, um casamento lésbico foi interrompido durante a festa porque o juiz da cidade de Cartagena, Colômbia, se negou a realizar o matrimônio.

Juiz se nega a casar lésbicas: “Prefiro a lei de Deus”
Juiz se nega a casar lésbicas: “Prefiro a lei de Deus” | Ilustração: Reprodução da Internet

Apesar de o casamento igualitário ser permitido por lei na Colômbia desde 2016, ainda é possível encontrar entraves para ter acesso a esse direito, assim como em outras partes do mundo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Durante o casamento de Julieth del Carmen Ramos Rivera e Alejandra Guskary Vásquez Santiago, o juiz Ramiro Eliseo Torres, da Décima Corte Civil de Cartagena declarou que não oficializaria o matrimônio porque isso “viola minha moral cristã e meus princípios essenciais”. O casamento teve que ser adiado.

Ao justificar sua atitude Torres afirmou que respaldou a sua decisão na Constituição da Colômbia, cujo preâmbulo invoca a proteção de Deus, e alegou que “os servidores públicos devem cumprir e defender a Constituição”.

“É preciso conhecer a Deus para conhecer a dimensão do juramento que se faz no momento da posse como servidor público. Não se trata de discriminação, e sim de compreensão das regras que nos governam. Prefiro a lei de Deus”, escreveu o juiz em carta encaminhada a tribunais superiores do país.