O reconhecimento de pessoas trans respeitando sua identidade de gênero pode deixar de ser uma realidade nos Estados Unidos.

De acordo com o New York Times, a administração do presidente Donald Trump  tem conduzido esforços junto de vários departamentos governamentais para reestabelecer a definição legal de “sexo” em todas as esferas do governo e funcionalismo público, como apenas masculino ou feminino considerando só o sexo biológico da pessoa.


Assista também:


No documento revelado pelo jornal, está explícito que “gênero deverá ter conotação e ter consideração apenas biológica”.

A medida marcaria um verdadeiro retrocesso em um dos mais importantes direitos já conquistados pela população trans nos Estados Unidos, que é justamente respeito a sua identidade de gênero, algo que o ex-presidente Barack Obama tinha conquistado.

“Estão a dizer que nós não existimos”, alertou a ativista Mara Keisling, diretora do Centro Nacional para os Direitos dos Transgênero em entrevista à Reuters. A ativista ainda afirma que a alteração noticiada seria “uma decisão muito agressiva, desconsiderada e perigosa”.

Conforme dados da Reuters, estima-se que 0,7% da população americana seja formada por pessoas trans, ou seja, que estão em um sexo biológico (masculino ou feminino) que não condiz com o gênero (homem / mulher) ao qual entendem pertencer.

Queria muito ver a cara de LGBTs que apoiaram o presidente Trump em campanha, como por exemplo, a transexual Caitlyn Jenner, que já se declarou arrependida de seu voto.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).