Um casal de lésbicas ficou ferido após ser alvo de um ataque homofóbico e misógino cometido por um grupo de homens em um ônibus de Londres.

Melania Geymonat, uma comissária de bordo da Ryanair, de nacionalidade uruguaia de 28 anos, escreveu na sua conta do Facebook que a agressão física e verbal que sofreu de quatro jovens contra ela e sua namorada, a americana Chris, aconteceu quando elas estavam na parte de cima do veículo durante a madrugada do dia 30 de maio e foi divulgada hoje pelo jornal britânico Metro.

As duas foram atacadas quando os homens perceberam que eram um casal e começaram a repreendê-las, pedindo-lhes que se beijassem e fazendo, ao mesmo tempo, gestos sexuais para elas. As jovens, que terminaram cobertas de sangue em consequência dos golpes recebidos, tiraram fotos após o ataque que posteriormente postaram nas redes sociais denunciando o ataque.

“Eles queriam que nos beijássemos para que pudessem nos observar. Tentei acabar com a situação, já que não sou uma pessoa de confronto, pedindo para que eles nos deixassem em paz, por favor, pois Chris não estava se sentindo bem”, contou Melania. “A última coisa que me lembro foi que Chris estava no meio deles e eles estavam batendo nela. Eu não raciocinei sobre isso e entrei no meio. Eu estava puxando ela de volta e tentando defendê-la, então eles começaram a me bater. Nem sei se fiquei inconsciente. Senti sangue em toda a minha roupa e em todo o chão. Descemos e a polícia estava lá”.

Melania revelou que havia, pelo menos, quatro deles e um falava espanhol, enquanto os outros tinham sotaque britânico. Os agressores também roubaram o casal antes de fugir do ônibus. A jovem que se mudou para o Reino Unido em fevereiro disse que se sentiu segura como uma mulher lésbica em Londres e ficou chocada com o ataque.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“O que mais me incomoda é que a violência se tornou uma coisa comum, que às vezes é necessário ver uma mulher sangrando depois de ter sido esmurrada para sentir algum tipo de impacto. Estou cansada de ser vista como um objeto sexual, de descobrir que essas situações são comuns, de amigos gays que foram espancados só porque são gays. Temos que suportar o assédio verbal e a violência misógina e homofóbica”, desabafou.

Melania afirmou que um dos homens quebrou seu nariz e ainda roubou seu celular e sua bolsa antes de sair. A polícia já tem em mãos imagens de segurança e fará a investigação do caso. Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido, comentou o ataque e defendeu a liberdade da comunidade LGBT no país.

“É uma cena que nos faz mal, um ataque doentio e meus melhores pensamentos estão com o casal que foi vítima”, declarou May. “Ninguém deveria, em nenhum momento, esconder quem é ou quem ama e nós devemos trabalhar em conjunto para erradicar essa inaceitável violência contra a comunidade LGBT”.