Ellen DeGeneres Adam Lambert, Luke Evans e Elton John se juntaram a George Clooney ao boicote a Brunei e convocaram as pessoas para agir contra as novas leis que entram em vigor em Brunei hoje (3 de abril), que permite que os homossexuais sejam apedrejados até a morte.

A apresentadora escreveu em seu Twitter e Instagram que  precisamos fazer alguma coisa: “Por favor, boicotem esses hotéis de propriedade do sultão de Brunei”, continuou DeGeneres. “Levantem suas vozes agora. Espalhem a palavra. Ergam-se.”

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ela, Adam e Evans postaram no Instagram a lista dos hotéis do sultão de Brunei, que podem ser lidos na íntegra aqui.

VEJA TAMBÉM:  BBB: 4 momentos em que Babu se mostrou aliado LGBT (apesar da homofobia ao chamar Daniel de “viadinho”)

Uma série de outras personalidades também se manifestaram para condenar as novas leis anti-gays quando entram em vigor nesta quarta-feira (3).

Robert Palladino, porta-voz do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que as novas leis de Brunei são contrárias às suas obrigações internacionais de direitos humanos.

“Todos os governos têm a obrigação de garantir que todas as pessoas possam desfrutar livremente dos direitos humanos e liberdades fundamentais a que têm direito. Os Estados Unidos se opõem fortemente à violência, à criminalização e à discriminação contra grupos vulneráveis, incluindo mulheres em risco de violência, minorias religiosas e étnicas e lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais (LGBTI)”, disse Palladino.

VEJA TAMBÉM:  Luis Lobianco fala sobre sobre luta contra LGBTfobia e representatividade LGBT

E continuou: “Continuamos a encorajar Brunei a ratificar e implementar a Convenção das Nações Unidas Contra a Tortura, que assinou em 2015, e a assinar, ratificar e implementar o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos”.

As leis também foram condenadas por Ron Galperin, secretário de finanças de Los Angeles, que pediu aos moradores da cidade que boicotem hotéis de propriedade do sultão de Brunei em um post no Facebook.

“Eu não vou colocar os pés nesses estabelecimentos, desde que sejam de propriedade e controlados por um regime que esteja disposto a matar pessoas LGBT”, afirmou.