Acabo de ver que um repórter que parou a transmissão ao vivo para ajudar um senhor de idade que estava perdido, foi muito elogiado nas redes sociais e, também foi criticado por um internauta dizendo que ele dava muita pinta.

Ele não se fez de rogado e disse que isso não era problema para ele.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Chamar uma pessoa de bicha, de veado ou qualquer outro nome que tenha a ver com sua orientação sexual, não deveria ser xingamento.

Só é porque numa sociedade extremamente machista, ser mulher ou parecer mulher é um demérito (para os machistas).

Vejam, que o machista mór da nação, hoje conseguiu com mais uma tentativa de ser engraçado, ofender toda uma categoria de jornalistas quando em ataque à jornalista da Folha de São Paulo, disse que ela queria dar o furo de qualquer jeito.

VEJA TAMBÉM:  Candidato gay se lança pela 1ª vez na Turquia para lutar por direitos LGBT

Um trocadilho ridículo, um machismo desnecessário e descabido para um presidente da nação.

Mas de onde vem tanto machismo? Se, quase cinquenta por cento dos lares brasileiros são de mulheres mães solo, sem maridos, é fato que quem cria machistas, são as mulheres, mães deles.

Essas mães, são as mesmas que não aceitam seus filhos gays e os expulsam de casa ou, permitem que o marido o faça.

Uma mulher não machista é aquela que ataca o pai em defesa do filho, seja sob que circunstância for…

Mas, gente preconceituosa, machista e homofóbica é a cara do Brasil de hoje em dia que não só elegeu uma figura como a do Senhor Presidente como, ainda aplaude as muitas bobagens que diariamente ele fala.

Os risos das pessoas em seu entorno quando a “piada” foi proferida, demonstra que, ao menos aquele gado que fica no cercadinho no lado de fora do palácio esperando para ver qual será a boa do dia de Sua Excelência, achou muita graça.

VEJA TAMBÉM:  "Enquanto brancos lutam por casamento e igualdade, negros lutam pela sobrevivência", explica ativista afro-LGBTI