Você conheceu um cara. Começaram a se relacionar mas, ele só fala que está sem dinheiro, que precisa de ajuda e, você tem dinheiro.

Empréstimos entre integrantes do casal não são problema.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Problema é quando o cara ou a menina, começam a se relacionar com você por conta do seu dinheiro (ainda que você não seja milionário). Vive pedindo dinheiro emprestado, pede para você comprar roupas, carro e no fim, você está bancando a pessoa.

O Código Penal Brasileiro não trata especificamente de estelionato sentimental mas, trata de estelionato e os tribunais têm entendido que se a vantagem é obtida pelo cara mediante fraude, mediante abuso psicológico, é estelionato sentimental.

Há um caso que eu tomei conhecimento que o cara pediu até um carro para a mulher e, quando ela comprou em seguida, o viu passeando com outra. Quando o confrontou sobre a compra do carro, a pergunta dele foi: Você não confia em mim? São muitas as formas de abuso dentro de uma relação.

VEJA TAMBÉM:  Sudão ameniza pena para sexo gay: troca pena de morte por prisão

Ou seja, os tribunais têm entendido que é passível de processo cível (para pedir o dinheiro de volta) e, criminal (estelionato), a conduta do companheiro que finge gostar de você, abusa da sua confiança, pede dinheiro emprestado mas, na verdade nunca teve a intenção de pagar, etc.

Dentro das relações de abuso, esta está no pico da malandragem mas, há pouco vem sendo reconhecida como uma relação de abuso.

Não é só apanhar, ter medo, ter violência para que haja abuso. Esse abuso financeiro em que o cara está com você somente pela grana também é relação de abuso e, se você se incomoda com isso, procure seus direitos.