Fãs da série de animação oriental Naruto tiveram uma surpresa e tanto esta semana em que um de seus maiores vilões, Orochimaru, revelou que é do gênero não binário.

O personagem traz uma discussão inédita de diversidade a um dos cartoons mais populares do mundo.

Orochimaru se recusa a se identificar como homem ou mulher, têm a habilidade mágica de invocar cobras e pode habitar os corpos dos outros com seu espírito além de trocar de corpo a cada três anos.

Em um episódio recentemente lançado de Boruto: Naruto Next Generations , Orochimaru fala com seu filho Mutsuki depois de testar as habilidades de Mutsuki na luta.

Mutsuki é basicamente um dos dois clones projetados por Orochimaru. Ele está sendo treinado como ninja antes de permitir que ele se junte a um grupo de ninjas em treinamento em uma missão especial.

No episódio, Mutsuki pergunta a seus pais se eles devem se referir a eles como “mãe” ou “pai”. Orochimaru responde: “Essa é uma pergunta boba”. Mutsuki , em seguida, diz: “Não que faça diferença pra mim de qualquer maneira.”

Orochimaru então explica: “Houve ocasiões em que eu era homem e tempos, uma mulher, assim como algo que não é deste mundo. Aparências externas não importam. A vontade de descobrir toda a verdade, que é o núcleo do meu ser.

Os fãs sabem que  Boruto  é na verdade um spinoff de  Naruto , 15 anos após o final da primeira série.

Na primeira metade da série original, Orochimaru repetidamente planejou se infiltrar na aldeia de Naruto para adquirir o Sharingan, uma poderosa relíquia que dá aos guerreiros a capacidade de ver a energia de outras pessoas, imitar suas habilidades, hipnotizá-los ou até mesmo ver seu futuro.

Mas na  seqüência de Boruto  , Orochimaru não é o principal vilão. Em vez disso, Boruto, filho do herói titular Naruto, luta contra o clã Ōtsutsuki para resgatar seu pai de suas garras.

Como tal, Orochimaru gasta seu tempo criando seu filho e supervisionando atividades dos confins de sua aldeia autocontida, Otogakure.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).