Fica cada vez mais complicado de entender o caso de agressão homofóbica envolvendo a influenciadora Karol Eller… Olha isso agora!

Um vídeo vazado na Internet registrou uma conversa envolvendo uma suposta policial civil falando em outra versão para o caso da agressão homofóbica sofrida pela youtuber Karol Eller, onde se pouparia a homofobia exercida no caso (como foi noticiado primeiramente pelo jornalista Léo Dias) e sugerindo até um suposto consumo de drogas e posse de armas pela influenciadora no caso.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

No áudio da ligação pode-se ouvir a suposta policial ao telefone afirmando que tentou “segurar informações da polícia” mudando a narrativa noticiada originalmente do caso para que o crime não fosse divulgado como homofobia.

O intuito, segundo os próprios aliados bolsonaristas de Karol conversam no telefonema registrado em vídeo, seria justamente não dar moral ao discurso de homofobia sofrida logo por uma defensora do presidente da república, que sabe-se que sempre fez pouco da LGBTfobia no Brasil. Na versão sugerida, o crime teria a ver com lesão corporal e o envolvimento da influenciadora com armas e drogas.

VEJA TAMBÉM:  Folha descobre esquema ilegal pró-Bolsonaro pra financiar fake news por whatsapp

Embora no vídeo não fique definida a identidade dos autores da conversa, no Twitter, internautas chegaram a sugerir que a voz da ligação seria de uma inspetora da polícia civil do Rio de Janeiro, Flavia Perez, que nas redes sociais é defensora ferrenha de Bolsonaro.

O vídeo, que tem mais de 20 minutos de duração, já circula pelo Youtube e grupos de Whatsapp. Assista abaixo e tire as suas conclusões:

Até agora não foram divulgadas mais informações e posicionamentos sobre o caso. Mas tendo, a gente atualiza aqui (e fica o convite às autoridades envolvidas!).

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).