Uma das figuras católicas mais conhecidas da cidade de São Paulo, o padre Júlio Lancellotti, de 69 anos, sempre teve como bandeira a defesa dos Direitos Humanos.

Que tal alugar ao invés de comprar um carro?

Sacerdote da Igreja de São Miguel Arcanjo, na Mooca, ele foi visto no último final de semana, em cerimônia de véspera de Páscoa, beijando os pés de uma transexual. Em seguida, ele pediu publicamente desculpas à ela pela intolerância e desrespeito com a comunidade LGBT.

Veja o momento abaixo:

E se engana quem acha que o padre fez isso de caso pensado ou para aparecer. Perguntado pelo jornal Extra, o sacerdote afirmou que enquanto fazia a tradicional Via Sacra, avistou a transexual dentre os fiéis. Foi quando ela chegou contando a ele sobre sua fé e ele decidiu realizar a ação na frente de todos como exemplo.

“Sei o quão vulnerável ela é, e para muitas pessoas, censurável. Quis demonstrar a todos que Deus a ama do jeito que ela é, o que vale para todas as pessoas.”, disse o padre.

(continua abaixo…)


Veja também:

Apesar de exercer o verdadeiro cristianismo que muitos ditos cristãos não exercem, seguindo os princípios do amai-vos uns aos outros e não julgar, Júlio Lancellotti já foi ameaçado de morte por fiéis, principalmente na Internet. Inclusive, uma vez já foi chamado de “padre comunista” pelo deputado e homofóbico Jair Bolsonaro uma vez em que discursava falando em defesa dos moradores de rua na Cracolândia.


Veja também:


Assista também: