O Cardeal Angelo Becciu, representante do alto escalão do Vaticano disse neste domingo (9) que um homem gay pode ser um “bom padre”.

A declaração, dada durante um evento promovido pelo jornal italiano La Repubblica em Bolonha, vai ao encontro do anseio por abertura aos homossexuais promovido pelo papa Francisco.

“Ser gay não é um pecado. Porém muito mais que uma aprovação do mundo gay, se trata de respeito. É possível ser gay e viver como um bom sacerdote. O importante é respeitar o voto de castidade, porque essa é a verdadeira escolha”, disse o cardeal italiano Angelo Becciu, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos.

Cardeal Angelo Becciu e o Papa Francisco

Becciu é um dos colaboradores mais próximos do Papa e, em 2016, criticou publicamente uma rádio católica que dissera que a série de terremotos no centro da Itália era um “castigo divino” pelo fato de o país ter legalizado a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Embora defenda o dogma do casamento entre homem e mulher, Francisco prega a abertura a homossexuais e divorciados e sua integração à vida da Igreja, o que já lhe rendeu acusações de heresia por parte de ultraconservadores.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Desde que assumiu o posto máximo da igreja católica, o papa, que vem de uma ala progressista, tem demonstrado interesse em tornar a instituição mais aberta a pessoas historicamente oprimidas pelo próprio cristianismo. Em 2016, chegou a dizer que a igreja católica deve perdão aos homossexuais.

E recentemente ele disse em uma entrevista que os seguidores de Jesus se “convencessem” que homossexuais e outras pessoas em relacionamentos “irregulares” são “filhos de Deus”, as coisas mudariam muito. Na ocasião, o líder religioso foi questionado sobre o que seriam os “relacionamentos irregulares”. “Todos são filhos de Deus, todos somos filhos de Deus. Todos eles. Não posso descartar ninguém”, ressaltou.