Dua baladas tradicionais da noite LGBTQI+ do Rio de Janeiro anunciaram o fim de suas atividades na última semana, devido à não retomada de eventos por conta da pandemia de covid-19.

Fechando as portas: baladas tradicionais do Rio encerram atividades
Buraco da Lacraia, aberto há mais de 27 anos, sinônimo de diversidade e resistência no centro da capital fluminense / Foto: Reprodução/Tripadvisor

No último dia 03/09, quinta-feira, o icônico Buraco da Lacraia, aberto há mais de 27 anos, sinônimo de diversidade e resistência no centro da capital fluminense, anunciou o fechamento de suas portas. Uma festa de despedida, com público limitado, está programada para amanhã, sábado, dia 12.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Fechando as portas: baladas tradicionais do Rio encerram atividades
TV Bar, localizado em Copacabana | Foto: Divulgação/TV Bar

Nesta quinta-feira, dia 10, foi a vez do TV Bar, uma das baladas mais tradicionais do Rio, localizado em Copacabana, a anunciar que não retomará mais suas atividades, fechando definitivamente suas portas após 10 anos de sucesso.

VEJA TAMBÉM:  Karol Conká dá soco na cara de gringo que assediou brasileiras no Rio

Com a pandemia, fomos paralisados. E como que um susto, tudo parou. Umas das áreas mais afetadas foi a do entretenimento. Então, comunicamos oficialmente, que nossa pinta, encerra por aqui. Pois, entendemos que nossa atividade, só vai ser bom se AGLOMERAR“, diz o comunicado oficial divulgado pela casa.

Fechando as portas: baladas tradicionais do Rio encerram atividades
Tô Nem Aí, na Rua Farme de Amoedo, em Copacabana | Foto: Reprodução/Pheeno

Outros ‘points’ conhecidos e badalados do Rio de Janeiro também já fecharam suas portas, como é o caso do tradicional Tô Nem Aí, na Rua Farme de Amoedo, em Copacabana, rua conhecida mundialmente por sua diversidade e ponto de encontro da comunidade LGBTQIA+, onde turistas de todo o globo se encontravam para curtir baladas, uns bons drinks, paquerar e rever os amigos.

VEJA TAMBÉM:  Felipe Neto compra 10 mil livros LGBTs pra distribuir a jovens na Bienal do Livro

De acordo com o portal Pheeno, fatores econômicos e falta de politicas de incentivo ao turismo focado na diversidade sexual diminuíram o volume de gente interessada em visitar o Rio e, por fim, a pandemia chegou e impôs o distanciamento social. Uma soma de fatores que empobrece e entristece a noite de uma Cidade Maravilhosa, com tanto potencial para o Turismo LGBTQIA+ e toda sua diversidade.