Em um ato de muita ignorância, o ex-técnico da seleção brasileira de vôlei, Bernardinho, chamou a jogadora transexual da seleção de homem.

O mico aconteceu durante a partida do Sesc-RJ, comandado pelo treinador, e o Sesi-Bauru, pelas quartas de final da Superliga Feminina de Vôlei. O ex-técnico se irritou em uma jogada da atleta da equipe paulista e disparou: “Um homem, é fo**!”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Uma câmera flagrou a ofensa. Bernardinho, é claro, foi justamente criticado nas redes sociais principalmente por ativistas LGBTs, como foi o caso da Angels Volley Brazil, equipe LGBT.

Veja abaixo:

“Transfóbicos e homofóbicos não vão passar sem serem apontados na nossa página! Pode ser até o papa do vôlei. Vamos desmascarar todos! Parabéns para o time feminino do Vôlei Bauru, mulheres incríveis que ganharam jogando por merecimento e sem nenhuma vantagem”, publicou o time em rede social.

VEJA TAMBÉM:  Casal vence ação após sofrer homofobia em pizzaria de Fortaleza

Conforme informou o Buzzfeed, após a ofensa, Bernardinho se desculpou em suas redes sociais: “Peço desculpas a todos, não foi minha intenção de forma alguma ofendê-la. Me referia ao gesto técnico e ao controle que ela tem, comum aos jogadores do masculino e que a maior parte das jogadoras não tem”, escreveu ele na própria postagem do Angels Volley Brazil.

“A Tiffany dou meus parabéns pela grande atuação e conquista e a todos que se sentiram ofendidos reitero minhas desculpas pois jamais foi minha intenção”, concluiu o técnico, dizendo também: “Sempre trabalhei e tentei ajudar com meu trabalho diversos jogadores e jogadoras sem qualquer tipo de preconceito”.

O Sesi/Bauru derrotou o Sesc/RJ por 3 sets a 1 e tirou o time de Bernardinho, pela primeira vez depois de 14 anos, de uma semifinal.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).