Depois do ataque transfóbico contra um dos concorrentes no reality show One Mo ’Chance, Tiffany Pollard voltou mais uma vez ao poço anti-trans em um comunicado que ela divulgou nas redes sociais.

Em um episódio do show em 13 de dezembro, que mostra mulheres competindo para ganhar o coração do rapper Kamal “Chance” Givens, Pollard enfrenta uma das mulheres, Tiffany Walker. A tarefa de Pollard era garantir que as competidoras se encaixassem bem em Givens.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Você não foi muito acessível comigo”, Pollard inicia a conversa. “Você não lançou nenhuma luz sobre as perguntas que eu tinha e sinto que você tem um problema, e acredito que você seja um homem.”

Walker, que é cisgênero, ficou chocada. “Hum… eu sei que não”, respondeu ela. Pollard perguntou sobre os órgãos genitais de Walker e depois a mandou para casa porque ela sentia que Walker não se incomodava com as perguntas ou defendia seu gênero o suficiente.

Depois que fãs e espectadores começaram a reclamar de Tiffany Pollard por sua transfobia sem sentido, ela fez uma declaração no Instagram tentando se defender.

“Eu não tenho um osso transfóbico no meu corpo”, disse Pollard no vídeo. “Eu amo e respeito todos na comunidade. Vocês sempre aparecem e se mostram para mim. E o amor é real.”

Ela passou a explicar que a mulher não era trans e, portanto, não era transfobia (não é assim que funciona). Ela também se defendeu dizendo que é regularmente chamada de homem quando sai em público (não é uma desculpa).

“Eu chamá-la de homem, não foi realmente algo desrespeitoso. Foi apenas eu mostrando o que eu passo regularmente e apenas colocando isso na realidade para que ela possa saber como lidar com isso “, disse.

Embora muitos argumentem que Walker lidou com isso muito bem, ela ainda assim foi expulsa do programa. Pollard encerrou sua declaração dizendo que não estava tentando dissuadir as mulheres trans quando chamou uma “mulher hereditária heterossexual” de homem.

Tiffany Pollard é criticada nas redes por ativistas

O ativista trans Munroe Bergdorf respondeu ao vídeo de desculpas, dizendo: “Referir-se a mulheres trans como homens e interrogá-las sobre seus órgãos genitais é transfóbico”, reporta o Pride. “Quer tenha sido sua intenção ou não”.

Ela prosseguiu, dizendo: “É uma pena ver que você não entende o dano que suas ações causaram. Você tem tantos fãs homossexuais e deve fazer o melhor a eles. Mantenha-se responsável e eduque-se”.

Celebridades LGBTQ+, como o ex Drag Race, Bob the Drag Queen, e o músico não binário Shamir, também acessaram o Twitter para comentar. “Tiffany Pollard, já deu”, Bob tuitou. “Eu realmente pensei que você fosse uma aliada. Estou lavo as mãos agora.”

Shamir acrescentou: “E o pedido de desculpas de Tiffany Pollard sendo mais transfóbico do que a ofensa real. Pollard ainda precisa se desculpar”.