A jogadora Tifanny, atleta da equipe feminina de vôlei do Sesi Vôlei Bauru, foi escolhida para estrelar a nova campanha da Adidas. Na peça publicitária, a empresa exalta a trajetória da esportista, que se tornou a primeira mulher transexual a disputar a Superliga Feminina de Vôlei.

– Nada é impossível para Tifanny Abreu. Mulher trans. Atleta profissional. Tifanny viu as possibilidades no impossível. E você, que possibilidades vê?, destaca a campanha postada no perfil oficial da Adidas no Twitter. Logo após a publicação, a marca foi alvo de uma campanha de boicote nas redes sociais.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Internautas acusam a atleta, sem embasamento científico, de possuir vantagem sobre as outras competidoras cisgêneros por ser uma mulher trans. Douglas Gomes (PTC), vereador pela cidade do Rio de Janeiro, é um dos responsáveis pela promoção do boicote.

O Comitê Olímpico Internacional (COI), a Federação Internacional de Voleibol (FIVB) e a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) autorizam que  mulheres trans ingressem em categorias femininas. As permissão é condicionada a manutenção dos níveis de testosterona abaixo 10 nanomol por litro de sangue. Segundo informações do Lance, a atleta do Sesi Vôlei Bauru mantém  0,2 nanomol por litro de sangue.