O Starbucks anunciou na última segunda-feira, uma extensão e tanto no plano de saúde para seus funcionários transgêneros.

A companhia vai passar a cobrir os custos médicos de todos os empregados transgêneros que trabalham na empresa, que precisam realizar cirurgias de transição de gênero, tais como, redesignação sexual (popularmente conhecida como “mudança de sexo”), a mastectomia (retirada dos seios) no caso de homens trans, ou ainda implantes de silicone ou cirurgias de feminilização do rosto no caso de mulheres trans, dentre outras possíveis intervenções estéticas que variam de pessoa para pessoa de acordo com vontades ou necessidades.

Além disso, conforme informou o PinkNews, a empresa anunciou que vai se empenhar para que seu plano de saúde oferecido aos empregados tenha profissionais especializados neste tipo de atendimento.

É uma iniciativa louvável! Por impossibilidades financeiras – uma realidade na vida de muitos transgêneros até pela falta de boa colocação profisisonal – muitas destas pessoas acabam durante toda uma vida toda não conseguindo realizar todas as adequações necessárias ao próprio corpo para enfim se sentirem “em si” e confortáveis.

Ron Crawford, vice presidente da área de benefícios da Starbucks declarou: “Este não é apenas o desejo da empresa em ser mais inclusiva. Descobrimos em conversas com parceiros trans sobre o como isso seria benéfico e os ajudaria a serem quem são. Como companhia, pensamos em equidade. Adoraríamos ver mais empresas tendo esta atitude.”

Para chegar a iniciativa, o Starbucks trabalhou em conjunto com a Associação Mundial de Profissionais de Saúde Trans (WPATH – World Professional Association for Transgender Health), de quem já era parceiro em campanhas de caridade.

O representante da companhia, Jamison Green, afirmou: “O Starbucks não tem medo de enfrentar a questão ou demandas para que seus funcionários tenham uma saúde melhor e possível. Pensamos juntos em uma lista de possibilidades essenciais como feminilização facial e eletrólise.” Ele também lembrou que a companhia foi a primeira grande marca a se envolver com a Associação.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).