O influenciador Carlinhos Maia acabou sendo chamado de “uma vergonha pra toda comunidade LGBT” após um vídeo que fez em suas redes sociais logo após sua saída do armário.

Por sugerir uma suposta “ditadura gay” repetindo o discurso de conservadores retrógrados que são contra Direitos LGBTs, e falar que “nós gays precisamos ser homens”, como se “não ser homem” ou parecendo sugerir que “não ser masculino” seja um demérito, Carlinhos acabou sendo justamente criticado na Internet por muitos LGBTs.

Fazendo questão de lembrar seus altos ganhos como empresário fora da Internet (o que ninguém perguntou), Carlinhos disse que chegamos onde chegamos “sendo homens” e sendo iguais a todos.

Pelo contrário, Carlinhos. É justamente por sermos diferentes que precisamos mostrar essa diferença pra que ela seja entendida e respeitada. Pra começo de conversa, se fôssemos iguais, não sofreríamos ameaças por sair na rua de mãos dadas com o namorado ou mesmo não teríamos uma expectativa de vida menor só por sermos LGBTs. Aliás, você sabia disso? E essas são apenas algumas das “diferenças” que não nos tornam iguais.

“Vocês não me verão usando salto e mini-saia”, diz ele em outro momento do vídeo.



Aproveite e assista:



Pois quem deu a cara a tapa pra que você possa chamar seu namorado de namorado hoje em público sem ser preso enquanto enche a boca pra garantir que “será um gay masculino e homem” como se isso fosse alguma vantagem, Carlinhos, foram travestis e as gays afeminadas, as montadas… Sua fala afirmando que “é gay mas é homem” colocando abaixo quem usa salto ou mini saia não passa de uma triste saída do armário cheia de homofobia internalizada.

Foram muitas pessoas usando minissaia e salto alto, as primeiras trans, as primeiras bichas afeminadas que você critica nesse discurso. Pioneiras em coragem de aparecer e se assumir em Parada LGBT (quando a sigla nem existia!) pedindo direitos dos quais você usufrui hoje pra poder se casar. Portanto, mais respeito com as gays ou travestis que usam sim salto alto e mini-saia. E você não é melhor do que elas por ser mais ou menos homem ou masculino.

Outra dica: uma pessoa que até ontem vivia no armário e pedia até pra amigos deletarem comentários que remetessem a homossexualidade, que há pouco foi problematizado por ser extremamente agressivo com a Romagaga, pouco pode falar em conquista ou em nome da comunidade LGBT, uma camisa que você nunca vestiu, uma causa com a qual você nunca se envolveu. Não é pela sua luta que você pode hoje dizer que namora publicamente, é pela luta das bichas que se assumiram muito antes (e você tem esse direito, cada um tem seu tempo de sair do seu armário!).

Vestir sainha, batom ou salto alto não é qualquer demérito. Como você mesmo disse em seu vídeo (e não faz o menor sentido com a frase julgadora anterior onde se acha melhor por “não aparecer usando saia ou salto alto), cada um faz o que quer e é feliz.

“Todo esse discurso preconceituoso e higienista podia ter sido poupado se ele fosse inteligente e dissesse ‘Sou gay mas continuo sendo o mesmo carlinhos de sempre’, disse um internauta, enquanto outro postou: “O tipo de gente que fortalece a violência contra homossexuais.”

Alguns outros ainda afirmaram: “Saiu do armario hj e ja quer ditar como um gay tem que ser a vai toma no cu meu chapa” e “Porém temos pablo vittar que usa baton, saia e salto alto, que tbém ganha muito dinheiro e é gay….. bjs de luz”.

Assista ao vídeo abaixo do discurso do influenciador e tire suas conclusões:

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).