Não é novidade pra ninguém a LGBTfobia escancarada do programa “Alerta Nacional”, comandado pelo apresentador Sikêra Jr, na Rede TV!.

Ele não apenas costuma divulgar notícias falsas fomentando ódio e escancarando preconceito e desrespeito com a comunidade LGBT, como faz de seu programa um palanque político para o atual presidente, sempre satirizando gays de forma escrachada. Parece até não saber que vive em um país que criminalizou a discriminação por identidade de gênero e orientação sexual, né?

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Um exemplo de uma das muitas situações nojentas transmitidas pelo jornal sensacionalista da Rede TV!, foi ao final de uma matéria onde um casal de lésbicas havia assassinado uma criança (sem qualquer relação com a orientação sexual das agressoras, é óbvio!), de forma tendenciosa, ele usou a foto da transexual Viviany Beleboni de fundo, que nada tinha a ver com o assunto. Em seguida ainda questionou: “É isso que vocês enfiaram guela abaixo de nós da família tradicional brasileira?!”. Não sendo o bastante, ele acusou o jornalismo brasileiro: “Está cheio de jornalistas desse tipo dentro das redações”.

VEJA TAMBÉM:  Países LGBTfóbicos, Hungria e Polônia perdem status de nações com democracias consolidadas

Em outro episódio lamentável, Sikêra lançou uma matéria especial chamada “Retrospectiva da Lacração”, onde exibe imagens da Parada LGBT com Daniela Mercury, Johnny Hooker e outros artistas, e então aparece uma mistura com imagens de Carnaval e protestos como a “Marcha das Vadias”, que nada tem a ver com a Parada LGBT. O apresentador então pergunta: “Será isso que o Brasil quer e por isso que o mundo está como está?”.

Não contente, a atração ainda exibe, totalmente fora de contexto, imagens da modelo transexual Viviany Beleboni, de quando fez um protesto simbolizando a violência trans aparecendo como Jesus Cristo em uma cruz. Algo que não tem nada de errado e é apenas uma metáfora artística à violência sofrida por uma população marginalizada e excluída, como foi Jesus.

VEJA TAMBÉM:  Funcionária dos correios americanos chama casal gay de "Bichas Brancas!"

Ao saber do uso de sua imagem desta forma e das acusações e ligações falsas com matérias criminosas, Viviany decidiu processar Sikêra Júnior e teve ganho de causa, fazendo com que o apresentador tenha que pagar R$ 30 mil de indenização. Este é apenas um dos três processos públicos movidos contra Sikêra, conforme publicado pelo JusBrasil.

Vale lembrar que em outras ocasiões, Viviany já processou tanto o pastor Marco Feliciano quanto o presidente Jair Bolsonaro. Embora a Justiça tenha reconhecido a ofensa, ambos usaram de seus foros privilegiados para postergar as investigações e os processos.

Contactada pelo Põe Na Roda, Viviany não quis falar sobre o assunto a pedido de sua advogada para não atrapalhar o processo e apenas se limitou a dizer: “Estou dentro do meu direito de processar Esse processo não é só por mim, mas pelo respeito com a comunidade LGBT”.

VEJA TAMBÉM:  Ao se despedir de namorado com beijo, brasileiro é atacado por homofóbicos na rua em Dublin

Não se sabe ainda se ele vai recorrer da condenação em 1ª instância. Entretanto, é provável que, caso recorra, pague ainda mais, uma vez que dificilmente ele vá conseguir justificar distribuição de fake news, discriminação e ódio gratuito contra uma parcela da população.

Sikêra Jr, ao ser informado do processo, chegou a usar novamente seu programa em rede nacional para chamar Viviany no masculino, distorcendo o ato e se vitimizando: “Eu estou sendo processado por aquela coisa”, disse ele.

Tá querendo mais outros processos, Siqueira Jr?

Lembrando que QUALQUER LGBT que se sentir ofendido em sua dignidade pela discriminação, mentiras e ofensas quanto a orientação sexual ou identidade de gênero, pode processar o apresentador por ocasiões transmitidas na TV como as que você pode assistir abaixo:

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).