A cantora americana Shania Twain, dona do inesquecível hit “I Feel Like a Woman”, se desculpou publicamente em entrevista recente ao tablóide The Guardian, pelo apoio dado à eleição do presidente americano Donald Trump em 2016.

Após ser convidada da semana do RuPaul’s Drag Race semana passada, a cantora foi lembrada do apoio dado ao candidato que tem feito pouco no poder além de travar o progresso principalmente em questões progressistas como a causa LGBT.

Vale lembrar que até hoje, desde que entrou no poder, Trump impediu o censo americano de colher dados sobre orientação sexual e identidade de gênero da população, retirou verba de campanhas contra o HIV, retirou do site da Casa Branca a página que tratava de Direitos LGBT, ignorou o mês de junho como Mês do Orgulho LGBT (algo que Obama fazia questão de ressaltar em seus discursos neste mês), proibiu estudantes trans de decidirem o banheiro de acordo com o gênero nas escolas e demitiu milhares de militares transgêneros das forças armadas americanas.

Pois bem, com uma grande parcela de LGBTs entre seus fãs, passou do tempo da cantora se desculpar. Perguntada, ela afirmou que acreditou que o presidente Trump fosse honesto na época: “Se fosse votar agora, não escolheria essa droga. Votaria por um candidato melhor e mais transparente. Bem, políticos são famosos por não cumprirem suas palavras, não é? Sou contra toda discriminação e me arrependo da escolha que fiz. Não tenho nada em comum com as crenças do presidente atual”.

Ela inclusive postou a declaração em seu Twitter:

Na época da eleição, Trump garantiu que não mudaria qualquer conquista dos direitos LGBT, inclusive até ostentando uma bandeira do arco-íris onde se lia “LGBTs for Trump”… Pois bem… Agora não só os LGBTs que acreditaram na balela como infelizmente TODOS LGBTs de bom senso que não votaram no presidente, se deram bem mal.

Que sirva de lição quando candidatos conservadores vierem feito lobo em pele de cordeiro pedirem seus votos. Entenderam, manas?

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).