Em um papo no Big Brother Brasil, uma fala do – até então tido quase por unanimidade como fado sensato pelo público – Daniel, causou estranheza e gerou críticas na Internet.

Enquanto as meninas discutiam ficar com outras meninas, Daniel disparou no meio da discussão: “Gente, não tem esse negócio de lésbica! Todo mundo é ser humano! Não existe esse negócio!”. Assista ao momento abaixo:

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Aparentemente o único que entendeu ali que a fala poderia ser equivocada, foi Babu pela cara que fazia enquanto ouvia…

VEJA TAMBÉM:  Mala de Prior enquanto dorme de moletom divide gays na Internet: “Falocentrismo X Militância”

Entre internautas, teve quem criticasse a fala de Daniel por invisibilizar mulheres lésbicas, o que não deixa de ser verdade. Mas teve também quem defendesse dizendo que, dentro do contexto do que estava sendo discutido, ele apenas quis dizer que “não importa a orientação sexual” e todos devem ser livres pra pegar quem quiser.

Fato é que rótulos tendem sim a deixar de serem importantes cada vez mais futuramente, em um mundo onde cada vez mais cada um vai ser livre pra ficar com quem quiser e também ser quem quise, viver no gênero da sua preferência… Mas enquanto há preconceito, há sim necessidade de nos reafirmarmos como gays, lésbicas, bissexuais, pansexuais, assexuais, não-binários, homem trans, travesti, mulher trans…

VEJA TAMBÉM:  BBB 20: "Eu te amo, independentemente de você me amar", diz Victor Hugo para Guilherme

Como grupos minoritários, é com esses rótulos que mostramos que existimos no mundo e somos diferentes do padrão “hétero-cis” predominante, que pra muita gente ainda é o único na sociedade que merece existir e ser respeitado. Sem isso, muitos de nós não nos entenderíamos ou a luta por direitos ficaria ainda mais difícil com a gente “diluído” na sociedade hétero-cis.

Fora que, quando mostramos que existimos e como somos, através de um rótulo que é algo necessário pra isso, ajudamos outras pessoas que não se encontraram ainda a se identificarem mais facilmente, a se descobrirem, a saberem que são normais, não são únicas e podem sim existir na sociedade.

O que você acha? Comenta aqui embaixo!

VEJA TAMBÉM:  BBB: Daniel vai pra debaixo do edredom com Marcela e acaba broxando: "Não vou conseguir"
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).