A drag queen e gamer, Samira Close, foi ameaçada de morte por um homem durante uma partida do jogo Free Fire, na última terça-feira (18). O rapaz, que se identificou como policial, mandou ela “calar a boca” e “ficar quieta”. O momento foi transmitido em uma live no Facebook.

O caso ocorreu após Samira iniciar a partida brincando com os integrantes do squad, dizendo que gostaria de beijá-los, além de falar alguns termos mais ousados. Em seguida, o homem se indignou, afirmando que sua filha de oito anos estava ao lado dele.

Pouco tempo depois, a drag queen, famosa por seu linguajar engraçado e debochado, respondeu que tanto o jogo quanto o horário não permitem que crianças estejam presentes e que isso é responsabilidade dos tutores legais da menor.

O homem, então, diz que não é homofóbico, mas se encontrasse com alguém como Samira , mataria. “Se todo viado fosse igual a você, eu seria homofóbico. Eu matava!”, afirmou. O rapaz ainda a ameaçou mais uma vez, informando que iria rastrear os dados da gamer.

Foi aí que Samira deu um show e rebateu o rapaz. “Eu to cagando pra você! Você acabou de dizer que vai matar um monte de viado. Se você realmente é policial, não sei nem o que você está fazendo da sua vida. 1h17, um policial jogando Free Fire, querendo dar lição de moral de madrugada em um monte de gente jogando um jogo online, em um celular mobile. Se eu fosse você eu teria vergonha de dar essa lição de moral. Porque você está passando vergonha. Eu não sei quem você é, eu caguei pra quem você é! Se não gostou do que falei pode mutar. Eu tenho certeza que você já escutou um monte de putaria nesse jogo e já falou, também, um monte de putaria. O seu recalque é porque eu sou um viado que to falando o que quero falar e vou continuar falando”, disse ela.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Veja o momento: