O cantor Nicholas Petricca, vocalista da banda Walk The Moon, usou as redes sociais para sair do armário como bissexual. “Olá, meu nome é Nicholas, sou o cantor da banda Walk The Moon e sou bissexual”, afirmou no Instagram.

Ver essa foto no Instagram

today is the last day of Pride Month here in the year 2020, and i think it’s time i said that. my whole life i have passed for a “normal person”, cisgender straight guy, and this has afforded me a life of privilege.  virtually no name-calling or bullying or hardship around my sexuality really at all.  my heart is with so many LGBTQ+ human beings who have had a much more challenging experience than i have.  AND i believe in what Harvey Milk said… (i’m paraphrasing) that when the collective as a whole, when people as a whole realize that we are everywhere… that we are your children, that we are your mothers and fathers and brothers and sisters… that we have been with you and among you and are you and have been this whole time… *that’s* the moment when the myths, the bullying, and the inequality will end. so to the extent to which this message serves that end, and to the extent to which it serves you – whoever you are watching this, whatever your situation is, if this gives you a degree of courage, confidence, if this gives you 1% more permission to be unapologetically yourself – then f u c k y e a h.  i’m here to say:  i am Bisexual.  i have feelings for, am attracted to both men and women, and i have had experiences with both men and women, and i’m proud of it.  i believe that sexuality is a spectrum, and i believe that most people probably live somewhere in between these far ends, heteronormative ends of this spectrum.  and i believe that you can be an LGBTQ+ person whether you have had a particular type of experience with someone yet, or ever, in your life. i want you to know whoever you are, however you’re built, however you were created, however you share your love with another human being, I LOVE YOU.  and God loves you.  Jesus loves you.  the Universe loves you.  and whatever the social-normative-narrative-programming-mainstream-whatever would have us believe – you are 100% grade-A beautiful perfect complete human being, and you are loved.  and for you to be 100% free to be yourself – this is vital.  and it’s vital to our future.  it’s vital to the whole world, and to me. *continued in comments*

Uma publicação compartilhada por Nicholas Petricca (@nicholaspetricholas) em

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A saída veio no último dia do Mês do Orgulho LGBT+ e ele revelou que: “Toda minha vida eu passei por uma ‘pessoa normal’ – um homem hétero e cisgênero – e isso me ofereceu uma vida de privilégios. Praticamente nenhum xingamento, intimidação ou dificuldades em relação à minha sexualidade. Meu coração está junto com muitos LGBTQ+ que tiveram muito mais desafios do que eu.”

“Estou aqui para dizer: sou bissexual. tenho sentimentos e sou atraído por homens e mulheres, tive experiências com homens e mulheres e tenho orgulho disso. acredito que a sexualidade é um espectro, e acredito que a maioria das pessoas provavelmente vive em algum lugar entre os extremos heteronormativos desse espectro. E acredito que você pode ser uma pessoa LGBTQ +, mesmo se você tiver tido essa experiência com alguém ou se nunca em sua vida teve.”

“Quero que saiba quem você é, apesar da sua construção, apesar da sua criação, por você compartilhar seu amor com outro ser humano, EU TE AMO. E Deus te ama. Jesus te ama. O universo te ama. E qualquer que seja a programação social-normativa-narrativa-mainstream, o que quer que nos faça acreditar – você é 100% de qualidade – um ser humano completo, perfeito e bonito, e você é amado. E para você ser 100% livre para ser você mesmo – isso é vital. E é vital para o nosso futuro. É vital para o mundo inteiro e para mim.”

O cantor ainda utilizou uma frase do ativista LGBT+ Harvey Milk: “Quando as pessoas perceberem que estamos em todos os lugares; que somos suas crianças, que somos suas mães, pais, irmãos e irmãs; que estivemos com você todo este tempo. Este será o momento em que os mitos, o bullying e a iniquidade acabará.”