O governo russo acaba de proibir oficialmente a união entre casais homoafetivos. Vladmir Putin, presidente da Rússia, mudou a Constituição do país e adicionou um trecho onde destaca que o matrimonio “deve realizar-se exclusivamente entre um homem e uma mulher.” As informações são do Observador.

Com uma menção a Deus, o chefe de estado sancionou a mudança nas leis do país. Segundo o deputados Pyotr Tolstoy, membro da base de apoio de Putin, a medida coloca o país como um “bastião do tradicionalismo” o “afastando dos erros do ocidente”. “Certas pessoas, como a comunidade LGBT ou determinados grupos raciais, recebem direitos especiais adicionais”

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Rússia proíbe oficialmente uniões homoafetivas: "afastar os erros do ocidente"
Rússia proíbe oficialmente uniões homoafetivas: “afastar os erros do ocidente” (Foto: Pixabay)

A Rússia se mantêm como um dos poucos países a criminalizar a homossexualidade. Com o governo de Vladmir Putin, o país se aproxima cada vez mais dos “valores tradicionais” da Igreja Ortodoxa Russa. O país é a quarta nação da Europa que mais repudia a população LGBTQIA+, ficando atrás apenas de países como Turquia, Arménia e Azerbaijão.

VEJA TAMBÉM:  Coronavírus: Itália libera visitas a parentes e gera polêmica entre LGBT+

Putin não reconhece as críticas externas e afirma que a perseguição à LGBT’s não ocorre no país. “Não existem disposições de direito penal russo segundo as quais as pessoas de orientação sexual não tradicional possam ser perseguidas criminalmente, não temos nada parecido com isso”, declara o presidente russo.