Nem mesmo uma das figuras mais emblemáticas e famosas da comunidade LGBT está livre de cometer um close errado. Somos todas humanas, né manas?

Pois a até a drag queen mais famosa do mundo, RuPaul, foi – justamente – problematizada na Internet e alvo de revolta após fazer alguns comentários considerados transfóbicos por boa parte da comunidade LGBT.

Em entrevista recente ao The Guardian, RuPaul afirmou ao ser perguntada que “provavelmente não aceitaria mulheres trans” competindo em RuPaul’s Drag Race: “É algo diferente do que fazemos, muda todo conceito de drag. Até já tivemos participantes que fizeram mudanças em seus corpos como injeções na face, na bunda, mas não eram pessoas em transição de gênero.

Mama Ru se esquece que algumas participantes do reality, como Peppermint, Kenya Michaels, Stacy Layne Matthews, Carmen Carrera, Sonique e Gia Gun, por exemplo, já se descobriram e se revelaram mulheres durante ou mesmo após estrelar na competição. Inclusive é relativamente comum que muitas mulheres trans acabem descobrindo sua identidade de gênero ao trabalhar como drag.

Mas o pior veio na tentativa de justificar o comentário que já vinha sendo alvo de polêmica na Internet. RuPaul tentou se justificar postando em seu Twitter: “Você pode melhorar sua performance com sintéticos e drogas e continuar sendo uma atleta. Mas não pode fazer isso nas Olimpíadas!”.

RuPaul usou como metáfora, atletas que são pegos em doping se drogando pra ter uma melhor performance, comparando-os a participantes trans em um concurso de drag, como se se estes também estivessem em uma vantagem desleal. Explicando o que ela quis dizer, “participantes trans” seriam “atletas em doping” e as “Olimpíadas” seriam o reality “RuPaul’s Drag Race”.


Veja também:


Com isso, RuPaul acabou reduzindo uma questão complexa como a transexualidade comparando pessoas trans a atletas que se dopam pra ter um desempenho melhor em uma competição… E como se uma pessoa fosse transicionar de gênero apenas pra se dar melhor em um reality de drags na TV… Identidade de gênero e transição é, antes de uma mera transformação no corpo, uma questão psicológica e que envolve auto-identidade, auto-reconhecimento, aceitação. Não um atleta irresponsável que usa drogas meramente pra se dar melhor sendo desleal em uma competição.

Após a repercussão extremamente negativa de seu tweet considerado transfóbico mesmo por seus admiradores, RuPaul veio a público se desculpar em outro post onde reconheceu o erro postando: “A cada manhã eu rezo por tudo que acho que sei. Tenho a mente aberta e estou disposta a aprender. Assumo e me arrependo pela ferida que causei. Trans são os maiores heróis da comunidade LGBT. Vocês são meus professores.”


Veja também:


Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).