Não é possível se tornar gay só porque outra pessoa é gay, mas Rodrigo Sant’anna, ator humorista, declarou em entrevista ao quadro “Simples Assim” da TV Globo, que não quer “levantar bandeira” e que “quer que as pessoas sejam livres”.

Rodrigo Sant’anna, que saiu do armário em janeiro deste ano, diz: “A partir do momento em que eu me assumi publicamente, muitos programas me chamaram pra falar dessa temática. Eu não quero levantar bandeira não por vergonha de ter essa orientação sexual, mas, simplesmente, porque acho que as pessoas têm que viver”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Rodrigo confunde viver sua sexualidade com impor sexualidade

“Vamos deixar todo mundo ser feliz, sem imposições, nem com questão religiosa, nem com o humor que eu faço, nem com a minha sexualidade, eu quero que as pessoas sejam livres”.

VEJA TAMBÉM:  Em mais um discurso ridículo, Bolsonaro diz que ser hétero é uma qualidade; assista

Sobre sua saída do armário, Sant’anna diz: “Eu já me senti diferente muitas vezes, então, tocar nesse lugar é sempre muito delicado e sutil. Na adolescência, comecei a sacar que eu era gay e que isso era uma coisa que eu não sabia bem como administrar, principalmente dentro de uma comunidade, que infelizmente ainda é um lugar onde as pessoas se mantêm dentro de um padrão”.

O artista concluiu dizendo que foi cauteloso ao revelar sua orientação sexual: “Sempre é complexo esse primeiro momento em que você fala sobre orientação sexual. Nem sempre é fácil exteriorizar isso para uma galera, composta em sua maioria por héteros”.

“Você tenta prever o que está passando na cabeça do outro porque você passa a se enxergar sempre a partir do preconceito do outro. A primeira referência dessa situação é a sua família. Não quero que ninguém se torne gay porque eu sou gay, quero que as pessoas tenham liberdade de ser o que elas quiserem.”

VEJA TAMBÉM:  Marido de Kim Kardashian, Kanye West apresentará evento evangélico cheio de líderes anti-LGBT