Quando o feitiço se vira contra o feiticeiro!
Um restaurante da Nova Zelândia tem recebido clientes do mundo todo após alguns lojistas tentarem boicotar o local porque os donos são um casal gay norte-americano.

Ken Miller e Jason Brumbaugh são os proprietários do restaurante Saluté, em Greytown, uma cidade rural pequena e localizada no coração de Wairarapa, na Nova Zelândia. O casal abriu o estabelecimento com o intuito de trabalhar fazendo o que ama, mas, estava sofrendo boicote por parte da população local por serem um casal gay.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Porém, tudo mudou radicalmente após um casal de turistas e seus amigos visitarem a cidade e, ao pedir informações sobre onde comer, serem informados de que o Saluté não poderia ser uma opção:

Nos disseram que o espaço era de propriedade de dois gays da América e que os habitantes da região não comiam por lá. Ao perguntarmos o que havia de errado com a comida, fomos informados de que não poderiam comentar, pois não comiam lá há mais de um ano e que deveríamos ir para outra cidade para almoçar“, escreveu Alexia Black, em um post que viralizou nas redes sociais.

VEJA TAMBÉM:  Aeroporto da Nova Zelândia pinta gigantesco arco-íris LGBT na pista

No post, Alexia conta que os lojistas homofóbicos ainda disseram que o restaurante era “uma completa vergonha” e que esperavam que “algo de bom pudesse ser feito com o lugar no futuro“.

Revoltada com a situação e curiosa sobre o estabelecimento, Alexia e seus amigos decidiram ignorar os conselhos dos lojistas e foram até o tal restaurante. Ela descreve a experiência como incrível: “a comida, a atmosfera e o serviço eram fantásticos”.

Após terminarem a refeição, Alexia conta que foi falar com o gerente sobre o que ouviram dos lojistas:
Pedimos pra falar com o gerente e contamos o que havia acontecido. Ele não ficou surpreso, e a emoção silenciosa em seus olhos nos mostrou que esse boicote já estava acontecendo a muito tempo e isso nos doeu profundamente“.

VEJA TAMBÉM:  Após Pabllo Vittar, Gloria Groove também rompe com Victor Vicenzza por apoio a Bolsonaro

Reforçando que tinham adorado a refeição e com a promessa de voltar mais vezes, Alexia finalizou sua recomendação nas redes sociais com um pedido a todos que se sentiram tocados pela história do casal:
Se você gosta de comida boa e detesta intolerância e mentes pequenas, reserve uma mesa no Saluté e mostre a esses adoráveis ​​homens que a Nova Zelândia não é lugar para ódio”.

Não demorou muito para a postagem de Alexia viralizar nas redes sociais e a página do restaurante ser tomada por mensagens de amor, apoio e claro, muitas reservas.

Foi extraordinário ver a resposta das pessoas“, disse Ken Miller ao portal New Zealand Herald. Ele e o marido afirmaram que ficaram impressionados com o apoio e a positividade.

VEJA TAMBÉM:  Está em nossas mãos resolver o preconceito sistemático nos aplicativos de corrida | Direitos LGBT

Tivemos um grande apoio, com pessoas nos dizendo que essa não é a Nova Zelândia“, disse ele. “Nós concordamos com isso. Quando deixamos os EUA, escolhemos a Nova Zelândia porque amamos muito esse país. Esta é a Nova Zelândia pela qual nos apaixonamos“.

Vida longa ao restaurante Saluté!