Segundo o site britânico PinkNews, um rapaz, que criou uma conta do Grindr para ajudar pessoas com problemas relacionados a abuso de drogas, tem tido sua conta constantemente desativada pelo aplicativo.

Ignacio Labayen de Inza, é especialista em drogas utilizadas durante o sexo e criou o perfil com o intuito de ajudar e aconselhar pessoas que abusam dessas substâncias.

Durante o tempo em que utilizou a plataforma para essa finalidade, ele conversou com usuários e traficantes de drogas e chegou a coletar dados – com o consentimento de todos os envolvidos – sobre tráficos de drogas dentro do aplicativo. Posteriormente, essa pesquisa foi apresentada aos responsáveis pelo Grindr.

Porém, parece que a pesquisa e a ajuda que ele tem oferecido não tem sido vista com bons olhos pelo aplicativo.

Ignacio diz que mais de 2.600 homens gays e bissexuais o contataram pedindo conselhos. A empresa chegou a ouvi-lo algumas vezes e até solicitou que ele enviasse as denúncias de tráfico de drogas para as autoridades locais.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Depois de um tempo, eles simplesmente pararam de responder e o impediram de usar sua conta por quatro meses. Após tentar inúmeros recursos, o especialista conseguiu reativar o perfil e foi informado de que havia sido banido por violar as “diretrizes da comunidade“.

No mês passado, saiu um documentário no Reino Unido intitulado “Sex, Drugs and Murder“, que contava que mais de um quarto dos usuários de uma droga chamada GHB haviam sofrido algum tipo de agressão sexual.

A droga, GHB, tem sido alvo de discussões no meio gay por ser comumente usada em festas, boates e também durante o sexo.

O número de pessoas que morrem com GHB detectadas no organismo tem crescido a cada ano.
Uma pesquisa realizada entre usuários dessa substância no Reino Unido revelou que quase metade havia tido overdose e desmaiado ao usar a droga.