Uma das muitas vítimas de Brumadinho, teria sido o catarinense Evandro Schwikosvsky. Ele chegou a figurar oficialmente na lista de vítimas e desaparecidos da tragédia. Em fevereiro, seu pai chegou até a fazer coleta de material genético para comparação com as vítimas localizadas.

Acontece que agora, o companheiro de Evandro, Edemilson, entrou em contato com a família do rapaz, que mora em Corupá, no Norte catarinense, para avisar que ele está vivo na Bahia este tempo todo. 

Evandro realmente esteve em Brumadinho no dia da tragédia onde foi em busca de uma entrevista de emprego, mas deixou a cidade uma hora antes do rompimento da barragem para a sua sorte.

De lá, ele foi para Salvador, pra onde já planejava fugir com o namorado devido a discriminação que sofria dentro de casa pela própria família. Chocado com a ideia de que poderia ter morrido na tragédia, confuso e brigado com seus pais que não aceitavam sua orientação sexual, Evandro decidiu ficar por lá mesmo e não avisou mais ninguém.

À NSC TV, Evandro disse que estava em Brumadinho e saiu da cidade uma hora antes do rompimento da barragem. Ele ainda conta ter voltado pra Salvador e ficou vagando pelas ruas, pois não queria voltar para casa e prejudicar o companheiro Edemilson, com medo que a família de Corupá os encontrasse.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Estatisticamente, sabe-se que a falta de acolhimento da família é um dos fatores que levam LGBTs a fugirem de suas origens, e em casos extremos até a tirar a própria vida. Muitos que não chegam a se suicidar, em algum momento pensam em “morrer” para a família que não os acolhe. Psicologicamente parece essa ter sido a “opção” da vítima da homofobia da família.

Seu namorado, que achava que ele havia morrido no incidente, contou que os dois tinham planos de ir viver em Salvador no início do ano. Já seu pai ficou chocado agora ao saber que o filho, que ele já tinha como morto, continua vivo. Ainda não se sabe maiores detalhes, mas é provável que este pai agora repense sua homofobia? Ou será que preferia um filho morto a um filho viado, como muitas famílias homofóbicas dizem até de fato seu ente muitas vezes tirar a própria vida?

Ainda segundo informações do G1, Evandro pediu perdão pelo que fez ao avisar que estava vivo à família em um vídeo:  “Eu peço perdão a todos, peço perdão ao Meu Deus, peço perdão ao meu companheiro, que foi a pessoa que mais sofreu. Fiz tudo isso porque meu pai não aceitava o fato de eu ser gay e ser casado com um homem. Estive mesmo em Brumadinho, mas, pela graça do nosso Deus, saí uma hora antes do ocorrido”, disse.

Assista ao vídeo da reportagem no G1.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).