Sergio Nasimento Camargo, aquele diretor da Fundação Palmares, foi chutado da cadeira que nem esquentou, por uma decisão judicial.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ao contrário do que disseram alguns jornais, a decisão não foi suspensa, a decisão diz que “tornou sem efeito a nomeação” dele para o cargo.

Foi um Juiz Federal do Ceará, atendendo a uma ação popular que pôs o negro racista para fora de um cargo de presidente de uma Fundação criada para fomentar a cultura afro brasileira.

Sergio teve sua nomeação tornada sem efeito porque dentre tantas declarações racistas, disse que o feriado da consciência negra deveria ser extinto; que a escravidão no Brasil foi boa para os descendentes de escravos e que Thais Araujo deveria morar na África já que gosta tanto de lá…

Não sei ao certo se são trapalhadas deste Governo ou, é intencional colocar uma pessoa antipática à causa LGBT no Ministério da Família; um homem visceralmente contra estudantes no Ministério da Educação e, agora, um negro racista (para presidir uma fundação de fomento cultural negro).

Ninguém pode ser tão idiota.

Isso é mesmo orquestrado para um desmanche geral das instituições culturais e de minorias.

Resta agora alguém chutar pra fora a ministra da Família que só entende – e contra determinação legal – que a única família e a formada por um homem e uma mulher…