Mais uma notícia de LGBTfobia chocante e difícil de acreditar… Quatro pessoas foram consideradas culpadas por estuprar e assassinar um casal de lésbicas em um ataque horrível e brutal que aconteceu na África do Sul.

Joey van Niekerk, de 32 anos, e Anisha van Niekerk, de 30 anos, viviam juntas em Mooinooi, na África do Sul e estavam casadas ​​há três anos quando foram assassinados em dezembro de 2017. O casal foi dado como desaparecido em 10 de dezembro, depois de deixar sua casa para ir ao funeral do pai de Joey.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Segundo informou o Pink News, seis dias depois, seus restos mortais foram descobertos. Elas foram estuprados, assassinadas e seus corpos foram mergulhados em ácido e incendiados para dificultar a identificação.

Após a investigação, quatro pessoas foram condenadas pelo assassinato do casal no Tribunal Superior de North Gauteng na última quarta-feira (26 de agosto): Mercia Strydom, 24, Aaron Sithole, 27, seu irmão Jack Sithole, 21, e Alex Modau, 39.

VEJA TAMBÉM:  Filho de Alicia Keys ficou envergonhado por querer "unhas de arco-íris" e a mãe teve a melhor reação
Mooinooi murders: Alleged mastermind's son, 2 others go free | News24
Joey e Anisha Van Niekerk.

O marido de Strydom, Koos, que supostamente planejou o ataque brutal, morreu por suicídio enquanto estava na prisão preventiva aguardando julgamento. Os assassinos terão suas sentenças definitivas somente no dia 15 de outubro. Enquanto isso, as famílias do casal apelam à justiça pedindo a prisão perpétua de todo os envolvidos.

O Tribunal Superior de Gauteng, o juiz de Pretória, Bert Bam, disse que não havia dúvida de que todos os quatro acusados ​​planejaram os assassinatos – mas disse que Koos Strydom foi o principal instigador.

Koos trabalhava em propriedades pertencentes aos Van Niekerks, segundo relato ouvido no tribunal, e estava cansado de pagar o aluguel à elas. Ele queria comprar o terreno, mas não tinha dinheiro. Sem maiores explicações, então, ele e sua esposa criaram um contrato falso e atraíram Joey e Anisha van Niekerk para o terreno, onde as forçaram a assiná-lo, cedendo a propriedade a eles.

VEJA TAMBÉM:  Primeiro casamento gay da Austrália tem noiva de 85 anos com câncer terminal

E a agressão não parou por aí, muito pelo contrário. Depois de assinar o contrato falso, os agressores sequestraram as mulheres, roubaram seus cartões bancários e as forçaram a entregar suas senhas. Depois de tudo, o casal ainda foi estuprado. Por fim, elas foram assassinadas e seus restos mortais queimados com ácido.

Os quatro envolvidos no assassinato respondendo pelo crime no tribunal. Oupa Mokoena/African News Agency (ANA)

À imprensa, às famílias de ambas as mulheres se disseram satisfeitas de ver a justiça finalmente sendo feita. Os irmãos Sithole foram considerados culpados por homicídio, estupro, roubo com circunstâncias agravantes, sequestro, furto e derrota dos fins da justiça, segundo a News 24.

Modau foi condenado por duas acusações de homicídio, roubo com circunstâncias agravantes, sequestro, furto e obstrução de justiça. Enquanto isso, Strydom foi condenado por duplo assassinato, roubo com circunstâncias agravantes, sequestro, furto, posse ilegal de arma de fogo e munição e obstrução de justiça.

VEJA TAMBÉM:  Creche rejeita matrícula de irmãos gêmeos de 3 anos só por terem dois pais

Falando à imprensa, a irmã de Joey, Rina, disse: “Foi insuportável ouvir o que minha irmã e Anisha tiveram que passar antes e depois de suas mortes. Estou muito feliz que os assassinos terão que pagar pelo que fizeram.”

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).