Muito embora a nossa Parada LGBT seja a maior do mundo, como já escrevi aqui, e também muito embora milhares de pessoas heterossexuais participem do evento, é certo que quanto mais direitos conquistamos, mais apanhamos.

Fica fácil ver isso na eleição passada no Brasil. Elegemos um presidente absolutamente sem idéias e programas (como já se viu e vê diariamente), em nome do seu discurso homofóbico, xenófobo, ao que se especula, miliciano e, que levantou na população um ódio há muito reprimido.

Quero que levante a mão aqui quem não tem alguém na família que votou neste presidente. Sim, em nossas famílias…

Milhares de homossexuais, inclusive, votaram nele. E isso, eu vou morrer sem entender. É como um judeu votar no Hitler na Alemanha do pré-guerra.

A última dele é que ele não tem nada contra a homossexualidade mas, somente heterossexuais deveriam ter filhos.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Sim, senhor presidente! Somente heterossexuais têm filhos mas, os abandonam e, são os gays quem os adotam para acolher e amar.

Entendem o raciocínio tacanho deste Senhor?

Ele também acha que o casamento homossexual não é uma coisa “normal” e, que o direito dos transgêneros aos seus nomes sociais é uma coisa “anormal”.

Ao que vimos na eleição e até hoje – por causa do discurso de ódio que emana do mais alto representante do País – é que a população que antes se encolhia diante de nossos direitos, agora se acha no direito de bradar aos quatro ventos suas raivas e suas homofobias.

Eu já disse aqui que todo homofóbico é um enrustido. Se o sexo entre duas pessoas te incomoda, o problema é seu e não dessas duas pessoas, como diz o Dr. Drauzio Varella. 

Na verdade, conforme fomos conquistando direitos fomos aparecendo e, com esta exposição, nos pomos a sermos apedrejados diariamente. Não pense você que as decisões do Supremo ou do Legislativo sobre direitos de nossa comunidade bastam para calar os mais esquentados homofóbicos de hoje em dia. Ao contrário, parece que aumenta o ódio dessas pessoas contra nós.

Por isso a luta pelos direitos tem que ser permanente e a vigília a eles, constante. Se alguém fizer uma piada homofóbica na roda em que você estiver, apenas pergunte: “não entendi, você pode explicar?”. Isso vai desmontar o engraçadinho que ainda pensa que é humor chamar alguém de viado, bicha ou qualquer outro adjetivo pejorativo.

Vigie sua família também. Aqueles que votaram no Bolsonaro, não queriam somente que o PT fosse posto fora das eleições. Queriam um representante daquele discurso que nunca foi disfarçado, sempre foi aberto no sentido de que gays são pessoas de segunda classe. 

Sobre isso, veja aqui meu primeiro artigo sobre o Pink Money.

Seu direito é você quem o defende. Não espere que outras pessoas o façam ou, você vai ser atropelado pela homofobia.