O professor de dança Jayme Marques, de 31 anos, é vítima de ataque homofóbico vindo de um cliente de uma lanchonete da rede Subway, em Goiânia. A pessoa que gravou os insultos ao professor contou ao G1 que a discussão começou após o professor sair em defesa de uma atendente da lanchonete que, segundo ele, estava sendo vítima de ofensas racistas advindas da mesma pessoa.

Jayme afirmou em entrevista que lanchava no local e que, quando tal cliente chegou, começou a falar de forma “ríspida” com a atendente, que é negra. “Ele falou alguma coisa assim: ‘Você precisa de fazer seu serviço direito, talvez nascendo de novo, mais parecida com um meio-fio [geralmente é pintado de branco] você consiga“, afirmou.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Indignado com o ataque racista do homem, o professor então o alertou que ele não precisava ofender a funcionária e que se não quisesse comer bastava ir embora. Foi quando a discussão começou e o primeiro ataque homofóbico veio, assista ao vídeo.

View this post on Instagram

🚨 VÍDEO MOSTRA ATAQUE HOMOFÓBICO EM RESTAURANTE DE GOIÂNIA Um vídeo gravado no último domingo (4) mostra um professor de 31 anos sendo vítima de um ataque homofóbico em Goiânia. O caso ocorreu em uma unidade do restaurante Subway. De acordo com testemunhas, a discussão começou depois que o agressor foi supostamente racista com a atendente da loja. Ao ver a cena, o rapaz filmado interviu e acabou insultado. A assessoria de imprensa da Subway ainda não se pronunciou sobre o caso. Nas imagens, é possível ver o momento em que o professor adverte o outro homem: "Não vai ser racista aqui na minha frente, não". Em resposta, o indivíduo profere uma sequência de insultos carregados de homofobia: "viado, gay, homossexual, bicha". Ao G1, o professor disse que pretende fazer um registro de ocorrência. Já a atendente da loja afirmou que já noticiou o caso à polícia.

A post shared by Folha Z (@folhaz) on

Começou com ela, por ser uma mulher negra. Depois, se tornou um problema por eu ser gay. Ele queria descontar a raiva em alguém. A primeira pessoa foi a funcionária e depois foi a gente, que estava lá no espaço“, pontua. Em dado momento do vídeo, ele diz ao professor: “Viado, gay, homossexual, viado, bicha“, relatou o professor.

Ataque homofóbico será denunciado

Em nota, o professor e a atendente informaram que farão boletim de ocorrência sobre o caso na polícia. A assessoria de imprensa do Subway informou que “é contra qualquer tipo de discriminação, abertamente em defesa dos direitos humanos e da diversidade, e repudia qualquer ato contrário a esses valores“.