Mariasilvia Spolato, uma mulher italiana que foi a primeira na história do país – e uma das primeiras do mundo – a se assumir lésbica publicamente, faleceu aos 83 anos de idade na última quarta-feira (7). Sua história de vida, exemplo e coragem são inspiradores.

Nascida em 1935, Mariasilvia se formou professora e passou a lecionar em uma Universidade, tendo também escrito livros didáticos para alunos.

No início dos anos 70, ela se foi a fundadora da Frente Homossexual Revolucionária Italiana, o primeiro grupo a lutar por reconhecimento dos homossexuais e direitos LGBT no país, e também um dos primeiros do mundo.

No dia 8 de março de 1972, centenas de pessoas, incluindo ela é claro, marcharam em Roma na passeata do dia das mulheres que acontecia no país. Acontece que ela chamou muito a atenção no evento, pois era a única pessoa com uma placa clamando pelos direitos LGBT. Em seu cartaz se lia: “Homossexual Liberation”.


Assista também:


Depois que sua foto foi noticiada por toda imprensa, ela acabou sendo demitida de seu emprego na universidade e também foi deserdada por sua família. Depois de perder emprego e família, e sem outra alternativa de trabalho, ela acabou indo morar na rua.

Mariasilvia entre ativistas em um dos muitos protestos que encabeçou desde a década de 70.

“Eu dormia na casa de amigos porque ninguém podia pagar meu aluguel. Vivia nômade de lugar em lugar. Minha casa se tornaram os trens. Metade dos condutores e funcionários me conheciam. Eu descansava onde podia e comia o que conseguia comprar”, contou Mariasilvia. (continua abaixo)

Assista também:

Ela ainda continuou sem teto durante alguns anos até uma gangrena em uma de suas pernas a possibilitar ser recebida em um abrigo público, onde pôde ser melhor cuidada e permaneceu até hoje, sempre ativa na questão da militância LGBT.

Como ela foi deserdada e não tinha família em registro, seu funeral foi pago pelo conselho da cidade em reconhecimento a sua história e luta.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).