A Parada LGBT da cidade de Camboriú, em Santa Catarina, não aconteceu por um motivo bem específico: o veto do prefeito Fabrício José Sátiro de Oliveira (PSB).

Sem maiores justificativas além da homofobia, ele acabou sendo processado pelo Ministério Público Estadual. Na ação, o promotor Jean Forest acusa o prefeito de improbidade administrativa por “tratamento diferenciado”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em sua denúncia, o promotor escreveu: “Está claro o tratamento desigual com a comunidade eLGBT, proporcionando e estimulando situações restritivas e injustificadas a estas pessoas. Sua função era administrar o município de Balneário Camboriú para todos sem privilégios ou distinções”.

A edição 2019 da Parada LGBT da cidade só conseguiu acontecer devido a uma liminar da justiça conseguida pelos organizadores que impediu o prefeito de proibir a realização do evento novamente.

Agora ele deve responder na justiça pelo veto sem justificativa a uma manifestação popular que não teria qualquer motivo para ser impedida em um Estado laico e democrático.

VEJA TAMBÉM:  Universitária de psicologia crente surta com professor que tem Bandeira LGBT+ em sua própria casa
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).