Como se sabe, o Disney Channel fez história ao incluir seu primeiro personagem declaradamente gay na série infanto-juvenil Andi Mack. No episódio que foi ao ar na semana passada, o garoto Cyrus se descobre apaixonado pelo mesmo boy que sua amiga, a protagonista Andi.

Na cena em que ele se assume pra ela, ele diz com medo da rejeição: “Eu me sinto… diferente.”, ao que a amiga arrasa e mostra todo apoio ao garoto.

Claro que apesar dos elogios e aplausos por parte de grupos LGBTs e pessoas heterossexuais bem resolvidas, a notícia também gerou revolta em grupos conservadores como é o caso da organização conservadora americana One Million Moms, que prometeu boicote aos Estúdios Disney.

Além deles, quem também está indignado com a presença de personagem gay em série adolescente, é o governo do Quênia, que acaba de aplicar censura ao canal. Através da lei de classificação etária, Andi Mack agora está simplesmente proibida de passar no país. O sinal do canal deve ser interrompido durante o horário de transmissão da série em todo território.

O CEO do órgão que regulamenta a classificação etária e censura no país, Ezekiel Mutua, fez um tweet justificando a ação: “Crianças devem ser informadas corretamente sobre o que é uma família, que se trata da união de gêneros opostos. Conteúdo gay não vai ao ar no Quênia… E PONTO.”


Assista também:


Chato, né mores? Mas nenhuma surpresa…Mais um conservador do lado errado da história.

A Disney por sua vez vem fazendo a egípcia e nem se pronunciou. E está certíssima, melhor do que colocar lenha na fogueira. Em tempo, Andi Mack é o seriado jovem mais assistido dos Estados Unidos entre jovens de 6 a 14 anos e deve trazer um impacto positivo na educação destas pessoas em questões como o respeito à diversidade.

Veja também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).