Fabiano Vallim e seu marido planejaram uma viagem para a Croácia em agosto de 2018. Ao tentar alugar uma casa pelo site Booking tiveram uma surpresa desagradável. Após confirmar uma reserva, os dois receberam um e-mail que solicitava o cancelamento da hospedagem pois o anfitrião “não aceitava gays”.

Fabiano rapidamente respondeu ao e-mail dizendo se mostrar chocado com a atitude do anfitrião e o classificando como homofóbico:
Eu estou realmente surpreso com sua resposta rude sobre minha reserva. Atitudes homofóbicas como a sua deveriam ser punidas no mundo inteiro.
Mas, eu ainda acredito que existam boas pessoas no mundo. Infelizmente, você não é uma delas
“, escreveu ele.

Mas, não foi só uma resposta a altura que o proprietário homofóbico recebeu.
Existe uma lei antidiscriminação na Croácia, aprovada em 2008, que inclui orientação sexual, identidade de gênero e expressão de gênero na lista de pessoas protegidas contra qualquer forma de discriminação.

Logo, promotores alegaram que o proprietário do aluguel violou os direitos humanos e, segundo a lei antidiscriminação do país, pode pegar até três anos de prisão pela atitude homofóbica.

O proprietário também teve suas contas no site Booking e Airbnb desativadas enquanto aguarda a decisão do tribunal.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA: