Um político escocês candidato ao parlamento na Escócia está fazendo uma campanha baseada em sua oposição ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, alegando que “o COVID-19 está possivelmente relacionado a isso” ( e ninguém pode estar levando isso a sério, nem na Escócia).

Peter Tait está concorrendo como candidato independente para a cadeira Shetland MSP e disse ao Shetland Times que basear sua campanha eleitoral em sua oposição ao casamento do mesmo sexo significava que ele estava “representando da melhor maneira possível as coisas que Deus gostaria que eu representasse”.

O político escocês também concorreu à eleição suplementar de 2019 com a promessa de transferir a monarquia para a Escócia. Ele admitiu na época que “não estava realmente interessado na política local. Ele recebeu apenas 31 votos (e virou piada).

De acordo com o Shetland News, falando de sua casa em Walls, Shetland, esta semana, ele disse: “Na última eleição, estive em uma questão que pensei que deveríamos fazer algo como nação, desta vez, penso que nosso problema agora o casamento gay. É por sua própria natureza uma questão mais polêmica da última vez, mas, como comunidade, nunca tivemos a oportunidade de nos opor a ela”.

“Eu acho que é uma questão que aliena nosso país diante de Deus … É contra a lei de Deus como está escrita na Bíblia”, justifica o político escocês que foi questionado pelo Shetland Times se esperava que houvesse reação contra sua campanha, e Tait disse: “Suponho que provavelmente haverá.”

De acordo com o fórum ShetLink, Tait escreveu uma carta ao jornal em 2013, na qual dizia: “Dizer que eles não têm escolha é um comentário deprimente e triste. Os homossexuais podem superar seu problema particular e viver uma vida celibatária. Não devemos tirar a esperança de sua situação. A sodomia nunca pode ser uma prática aceitável ou respeitável”, sustenta o político escocês, que provavelmente, não vai se eleger.