Charmaine McGuffey está processando o xerife do condado de Hamilton, Jim Neil. Ela afirma que ele a demitiu da posição de major das prisões e serviços judiciais do condado por ser lésbica.

Jim Neil nega isso, alegando que a demissão ocorreu por ela ter criado um ambiente de trabalho hostil e intimidador aos colegas. McGuffey sustenta que foi porque se manifestou contra a cultura LGBTfóbica e machista do trabalho

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Agora ela está desafiando o ex-chefe pelo cargo, já que se candidatou contra ele para o cargo de xerife nas primárias democratas.

“O atual xerife e eu entramos em um desacordo bastante sério sobre a prática de ele não responsabilizar os policiais pelo uso da força e do assédio a mulheres policiais e detentas”, disse McGuffey à LGBTQ Nation.

VEJA TAMBÉM:  Cinegrafista recusa fazer filmagens para casal lésbico: "Não filmamos casamentos homossexuais"

Ela acrescenta: “ele me demitiu. Então, depois de mais ou menos um ano de reflexão, decidi que posso fazer um trabalho melhor do que ele”.

Se ela vencer a primária democrata será a primeira lésbica a ser eleita xerife em seu estado. Ela pretende renovar todo o escritório do xerife, começando com a prestação de contas e a reforma da justiça.

“Eu fui lésbica a vida toda”, ela disse, “e o que aprendi aos 11 anos foi o seguinte: se você não enfrentar agressores, eles matam e fazem com que você falhe. muitas coisas negativas acontecem com você”.

“Precisamos enfrentá-los, mas quando você os defende, há consequências. Não é fácil, por isso é o que fiz durante toda a minha vida e tenho pessoas tremendamente ótimas ao meu redor que me ajudaram nesses tempos difíceis”.

VEJA TAMBÉM:  Fotógrafo se recusa a trabalhar em casamento de lésbicas

Matéria traduzida do site PinkNews.