Um policial fascista ataca dois gays com xingamentos homofóbicos em grupo de whats app. O casal compõe uma chapa de candidatura coletiva na cidade de Montes Claros em Minas gerais. O PSOL local já está tomando as providências, segundo dito em sua conta no Instagram.

“Esta nota tem por objetivo denunciar as graves ofensas recebidas pelos candidatos a vereador Daniel Neto Ramos de Queiroz e Pedro Lucas Monteiro de Azevedo, do Partido Socialismo e Liberdade, desta cidade de Montes Claros-MG.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Os candidatos denunciam a circulação de mensagens escritas e áudios de caráter LGBTIfóbico, feitas por um policial militar, que preferimos não nomear pois sabemos que está é uma das formas que tais indivíduos buscam se visibilizar.

Todos nós tomamos ciência de tal ação criminosa com muita indignação mas, lamentavelmente, sem surpresa, vinda de um sujeito que devia zelar pela dignidade da pessoa humana prescrita nas nossas leis e Carta Constitucional. Este é mais um episódio de violência que a comunidade LBGTIA+ tem sido submetida ao longo da história, resultado de uma sociedade patriarcal, machista e LGBTIfóbica (…).

VEJA TAMBÉM:  Mulher trans esfaqueada violentamente teve garganta cortada por gangue

(…) Por isso, manifestamos oficialmente nossa total aversão a tal episódio e lembramos toda a comunidade que em 2019 o Supremo Tribunal Federal deu um passo importante na criminalização da LGBTIfobia, e por isso buscaremos nos canais próprios protocolar denúncia contra este agressor. Obviamente, na denúncia, tanto o nome como as provas serão apresentados com clareza”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

HOMOFOBIA É CRIME! Esta nota tem por objetivo denunciar as graves ofensas recebidas pelos candidatos a vereador Daniel Neto Ramos de Queiroz e Pedro Lucas Monteiro de Azevedo, do Partido Socialismo e Liberdade, desta cidade de Montes Claros-MG. Os candidatos denunciam a circulação de mensagens escritas e áudios de caráter LGBTIfóbico, feitas por um policial militar, que preferimos não nomear pois sabemos que está é uma das formas que tais indivìduos buscam se visibilizar. Todos nós tomamos ciência de tal ação criminosa com muita indignação mas, lamentavelmente, sem surpresa, vinda de um sujeito que devia zelar pela dignidade da pessoa humana prescrita nas nossas leis e Carta Constitucional. Este é mais um episòdio de violência que a comunidade LBGTIA+ tem sido submetida ao longo da història, resultado de uma sociedade patriarcal, machista e LGBTIfòbica – onde os homens héteros, marcadamente brancos e cis estiveram sempre no poder. Não atoa os dados do Grupo Gay da Bahia (GGB), que mostram que somos um dos paìses que mais matam LGBTIA+ no mundo, Por isso, manifestamos oficialmente nossa total aversão a tal episòdio e lembramos toda a comunidade que em 2019 o Supremo Tribunal Federal deu um passo importante na criminalização da LGBTIfobia, e por isso buscaremos nos canais próprios protocolar denúncia contra este agressor. Obviamente, na denúncia, tanto o nome como as provas serão apresentados com clareza. O Partido Socialismo e Liberdade reafirma, neste momento, sua preocupação com a dignidade das pessoas e o respeito a sua intimidade e liberdades civis, independente se são candidatos a cargos políticos ou filiados. Sabemos que as ofensas são ainda resultado da combatividade da candidatura de Daniel e Pedro Lucas, a frente de um das primeiras candidaturas coletivas da cidade de Montes Claros – A Bancada da Pessoa com Deficiência, que tem se colocado como uma alternativa de esquerda, popular e democrática, no combate as mais diversas formas de opressão. * continua nos comentários *

Uma publicação compartilhada por PSOL MOC (@psolmontesclaros) em

Violência policial é cada vez maior contra LGBTS

Nenhum dos acusados foi identificado na denúncia até o presente momento, mas entraremos em contato com Daniel Ramos, um dos candidatos do PSOL na cidade para informações futuras.

VEJA TAMBÉM:  Transexuais são forçadas a cortar o cabelo e vestir roupas "masculinas" pela polícia na Indonésia